Zorba, o Grego – Nikos Kazantzakis

Zorba, o Grego – Nikos Kazantzakis

Num trecho perdido do litoral da ilha de Creta, entre um jovem que busca a si mesmo, uma velha cantora de cabaré que vive em função de pretensas glórias passadas e uma aldeia cuja população é retrógrada e mesquinha, o leitor encontrará em Zorba o homem perfeito – consciente de suas fraquezas, vícios e pecados, mas que não se curva sua vida diante das limitações da própria condição humana. Em contraste, ao lado de Zorba um homem perplexo e hesitante que, apesar dos livros que leu, ainda não conseguiu se libertar dos freios impostos da civilização, nem aprendeu que nenhuma contingência real ou ideal impede o homem de atingir o mais alto grau de liberdade – que é a capacidade de entender e amar o mundo como ele é, e não como deveria ser.

 Zorba, o Grego – Nikos Kazantzakis Nikos Kazantzakis

 Zorba, o Grego – Nikos Kazantzakis Nikos Kazantzakis   Num trecho perdido do litoral da ilha de Creta, entre um jovem que busca a si mesmo, uma velha cantora de cabaré que vive em função de pretensas glórias passadas e uma aldeia cuja população é retrógrada e mesquinha, o leitor encontrará em Zorba o homem perfeito – consciente de suas fraquezas, vícios e pecados, mas que não se curva sua vida diante das limitações da própria condição humana. Em contraste, ao lado de Zorba um homem perplexo e hesitante que, apesar dos livros que leu, ainda não conseguiu se libertar dos freios impostos da civilização, nem aprendeu que nenhuma contingência real ou ideal impede o homem de atingir o mais alto grau de liberdade – que é a capacidade de entender e amar o mundo como ele é, e não como deveria ser.

 Zorba, o Grego – Nikos Kazantzakis Nikos Kazantzakis

1 comentário em “Zorba, o Grego – Nikos KazantzakisAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *