Vila Rica – Cláudio Manuel da Costa

Vila Rica – Cláudio Manuel da Costa

Vila Rica é um poema épico escrito pelo poeta brasileiro Cláudio Manuel da Costa em 1773 que exalta os bandeirantes que fundaram diversas cidades em Minas Gerais. Narra, em versos, a história de fundação de Minas Gerais, que se dá com a viagem de Antônio Albuquerque Coelho de Carvalho às Minas Gerais, no início do século XVIII, resolvendo o conflito da Guerra dos Emboabas. O poema possui dez cantos e usa versos decassílabos com rimas emparelhadas. É considerado o marco inicial do Arcadismo no Brasil.

Costa teria trazidos elementos de um poema perdido sobre a descoberta das esmeraldas, de autoria de Diogo Grasson (ou Garção) Tinoco, cujas quatro estrofes conhecidas ele transcreveu no capítulo Fundamento Histórico (cf. Obras Poetas de Cláudio Manuel da Costa, Garnier, Rio de Janeiro, t. II, págs. 175-79 1 ).

Vila Rica – Cláudio Manuel da CostaVila Rica é um poema épico escrito pelo poeta brasileiro Cláudio Manuel da Costa em 1773 que exalta os bandeirantes que fundaram diversas cidades em Minas Gerais. Narra, em versos, a história de fundação de Minas Gerais, que se dá com a viagem de Antônio Albuquerque Coelho de Carvalho às Minas Gerais, no início do século XVIII, resolvendo o conflito da Guerra dos Emboabas. O poema possui dez cantos e usa versos decassílabos com rimas emparelhadas. É considerado o marco inicial do Arcadismo no Brasil.

Costa teria trazidos elementos de um poema perdido sobre a descoberta das esmeraldas, de autoria de Diogo Grasson (ou Garção) Tinoco, cujas quatro estrofes conhecidas ele transcreveu no capítulo Fundamento Histórico (cf. Obras Poetas de Cláudio Manuel da Costa, Garnier, Rio de Janeiro, t. II, págs. 175-79 1 ).