Vampiro – Manual do Narrador

Vampiro – Manual do Narrador

Em suas mais de duzentas páginas somos agraciados com as respostas de várias dúvidas que podem surgir em suas crônicas. Quer saber se um Carniçal mantém suas Disciplinas se for Abraçado? Quer saber o efeito de uma amputação em um vampiro? Quer saber o que acontece se uma mulher grávida é Abraçada ou transformada em Carniçal (seu doente!)?

Vampiro - Manual do Narrador Em suas mais de duzentas páginas somos agraciados com as respostas de várias dúvidas que podem surgir em suas crônicas. Quer saber se um Carniçal mantém suas Disciplinas se for Abraçado? Quer saber o efeito de uma amputação em um vampiro? Quer saber o que acontece se uma mulher grávida é Abraçada ou transformada em Carniçal (seu doente!)?

Este livro responde estas perguntas e muitas outras mais! Mas é claro que nem tudo é revelado. Você não encontrará a ficha de Caim ou a verdade sobre o Inconnu, afinal certos segredos devem permanecer assim…

Ao longo dos demais capítulos temos discussões sobre clãs e linhagens, acabando com o mito de que um clã é um grupo fraterno de amiguinhos que se vestem da mesma maneira. Temos também regras para a criação de Linhagens, além de novos clãs como os demoníacos Baali (vistos em Vampiro: A Idade das Trevas, mas aqui com mais detalhes), as temíveis Nagajara, e os misteriosos Brujah Verdadeiros.

Dentre os novos Antecedentes temos Arcanum, importado de Mago: A Ascenção, Idade, para vampiros realmente velhos e Força Militar para aqueles que gostam de controlar seus próprios exércitos pessoais. Já na parte das Disciplinas temos o Daimonon dos Baali, a Linha Vítrea da Necromancia (criada pelas Nagajara) e a apelona Temporis dos Brujah Verdadeiros.

São Apresentadas também ideias para crônicas com vampiros anciões e sua eterna disputa de poder, ou para crônicas em tempo acelerado. Usando um pouco de bom senso você pode começar sua crônica na Idade das Trevas com um grupo de neófitos e depois utilizá-los como anciões nos tempos atuais (o seriado Highlander era especialista nisso).

Temos também dicas preciosas sobre o ofício de narrar uma boa história em Vampiro: A Máscara. São dicas úteis para qualquer um que queira se aventurar na difícil empreitada de entreter um grupo de jogadores e manter as coisas interessantes ao mesmo tempo.

Uma seção que merece destaque é a que fala sobre jogadores problemáticos e como lidar com eles. Tipos famosos como o Advogado de Regras e o Matador de Jogadores (só para citar alguns) são discutidos em detalhes para o Narrador saber lidar com eles sem arruinar com a crônica.

O capítulo seguinte é dedicado a cenários alternativos possibilitando crônicas no Império Romano, na Renascença, na década de 20 ou em qualquer outra época que você imaginar (mas nada substitui um bom livro de História).

Vale lembrar que aqui também são encontradas regras e ideias para crossovers entre outros cenários do Mundo das Trevas bem mais precisos do que as do livro básico. Isso porque o livro básico de Vampiro: A Máscara foi escrito bem antes dos demais do Mundo das Trevas.

Fechando o livro temos toda a verdade sobre a Mão Negra que nem mesmo os Sabás poderiam revelar.

Fonte: Dragão Banguela

Crédito no Livro

su_button url=”https://mega.co.nz/#!DM11mT4R!G1kmgX5JJ4vXTKAIUlLdnnqla_Nf0POaosbvyEQl-lI” color=”black” align=”after”

1 comentário em “Vampiro – Manual do NarradorAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *