Tio Tungstênio: Memórias de uma infância química – Oliver Sacks

Tio Tungstênio: Memórias de uma infância química – Oliver Sacks

As memórias de Oliver Sacks estão impregnadas de ouro, cobre, ferro, estanho, tungstênio. Segundo o neurologista, o comportamento misterioso dos metais o conduziu à prática científica. Com uma escrita envolvente, em que ciência e poesia se aproximam, o autor relembra a infância enquanto narra uma fascinante história da química.

Em Tio Tungstênio, Oliver Sacks relembra sua infância, impregnada de recordações sobre o comportamento misterioso dos materiais. Desconfiando de que existiam fenômenos por trás do mundo visível, o jovem Oliver se perguntava: “Como o carvão pode ser feito da mesma matéria que o diamante? Do que é feito o Sol?”.

Cada etapa de suas descobertas sobre a luz, o calor, a eletricidade, o átomo e os raios X é relembrada conduzindo o leitor pela história da química. A escrita envolvente de Sacks aproxima poesia e ciência por meio de recordações que são, a um só tempo, investigações intelectuais e episódios de amadurecimento afetivo.

Nascido numa família de cientistas, Sacks encontrou incentivo para sua vocação. Tio Dave fabricava lâmpadas de tungstênio e, para o menino Oliver, tinha as mãos, os pulmões e os ossos encharcados do metal escuro e pesado. Era o tio Tungstênio.

As memórias de Oliver Sacks estão impregnadas de ouro, cobre, ferro, estanho, tungstênio. Segundo o neurologista, o comportamento misterioso dos metais o conduziu à prática científica. Com uma escrita envolvente, em que ciência e poesia se aproximam, o autor relembra a infância enquanto narra uma fascinante história da química.

Em Tio Tungstênio, Oliver Sacks relembra sua infância, impregnada de recordações sobre o comportamento misterioso dos materiais. Desconfiando de que existiam fenômenos por trás do mundo visível, o jovem Oliver se perguntava: “Como o carvão pode ser feito da mesma matéria que o diamante? Do que é feito o Sol?”.

Cada etapa de suas descobertas sobre a luz, o calor, a eletricidade, o átomo e os raios X é relembrada conduzindo o leitor pela história da química. A escrita envolvente de Sacks aproxima poesia e ciência por meio de recordações que são, a um só tempo, investigações intelectuais e episódios de amadurecimento afetivo.

Nascido numa família de cientistas, Sacks encontrou incentivo para sua vocação. Tio Dave fabricava lâmpadas de tungstênio e, para o menino Oliver, tinha as mãos, os pulmões e os ossos encharcados do metal escuro e pesado. Era o tio Tungstênio.

 

1 comentário em “Tio Tungstênio: Memórias de uma infância química – Oliver SacksAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *