Ter saudade era bom – Moema Vilela

Compartilhe:

Ter saudade era bom tem Bijuzinha e tem o cunhado do Zizi, tem Larzo e a adolescente feminista, esforçada em ser cientista, que atende pelo apelido de Copérnico. Tem personagens saídos de uma mágica de Cartola, outros da ditadura de 1964 e do acidente na mina San José em 2010, ao mesmo tempo, numa história mentida meio à Forrest Gump. Tem muita invenção escondida. Em jogos com diferentes narradores, temáticas e subgêneros literários, do conto epistolar à ficção científica, o livro convida o leitor a reconstruir tramas máximas e mínimas e, no desenrolar dos contos, encontrar a revelação da abismal intimidade humana por dentro das palavras.

 

(Visited 1 times, 1 visits today)
Compartilhe:

Send a Comment

Your email address will not be published.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Gostou do epubr.club? Por favor, espalhe a palavra :)