Sobrevivência dos Vaga-Lumes – Georges Didi-Huberman

Sobrevivência dos Vaga-Lumes – Georges Didi-Huberman

Sobrevivência de vaga-lumes analisa obra de Pasolini, estabelecendo conexões com o pensamento de outros intelectuais, especialmente o de Giorgio Agamben. Os vaga-lumes representam as diversas formas de resistência da cultura, do pensamento e do corpo diante das luzes ofuscantes do poder da política, da mídia e da mercadoria.
A partir do famoso Artigo dos Vaga-Lumes, escrito por Pier Paolo Pasolini em 1975, Didi-Huberman defende a sobrevivência da experiência e da imagem, em um texto que representa um grande guinada na história da arte.
Georges Didi-Huberman, nascido em Saint-Étienne em 1953, é filósofo, historiador, crítico de arte e professor da École de Hautes Études em Sciences Sociales, em Paris.

Sobrevivencia-dos-Vaga-Lumes-Georges-Didi-HubermanSobrevivência de vaga-lumes analisa obra de Pasolini, estabelecendo conexões com o pensamento de outros intelectuais, especialmente o de Giorgio Agamben. Os vaga-lumes representam as diversas formas de resistência da cultura, do pensamento e do corpo diante das luzes ofuscantes do poder da política, da mídia e da mercadoria.
A partir do famoso Artigo dos Vaga-Lumes, escrito por Pier Paolo Pasolini em 1975, Didi-Huberman defende a sobrevivência da experiência e da imagem, em um texto que representa um grande guinada na história da arte.
Georges Didi-Huberman, nascido em Saint-Étienne em 1953, é filósofo, historiador, crítico de arte e professor da École de Hautes Études em Sciences Sociales, em Paris.

1 comentário em “Sobrevivência dos Vaga-Lumes – Georges Didi-HubermanAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *