Série A Bicicleta Azul – Régine Deforges

Série A Bicicleta Azul – Régine Deforges

A série A Bicicleta Azul marcou toda uma geração com mais de 6 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo 1939. Bordeaux, França. A jovem Léa Delmas, de 17 anos, desperta para o amor e para o sexo. Mas o início da Segunda Guerra Mundial interrompe bruscamente a alegria da sua juventude. Léa se vê obrigada a enfrentar a dura realidade da violência, a conviver com a ocupação nazista e, ao mesmo tempo, com as inquietações de uma paixão arrebatadora. A autora Régine Deforges recria todo o drama da família Delmas na luta pela sobrevivência e nos leva por uma viagem ao mundo das sensações e descobertas da mocidade. A bicicleta azul é o primeiro romance da série épica de mesmo título que consagrou a escritora francesa, vendeu mais de 6 milhões de exemplares em todo o mundo e marcou toda uma geração.

A série A Bicicleta Azul marcou toda uma geração com mais de 6 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo 1939. Bordeaux, França. A jovem Léa Delmas, de 17 anos, desperta para o amor e para o sexo. Mas o início da Segunda Guerra Mundial interrompe bruscamente a alegria da sua juventude. Léa se vê obrigada a enfrentar a dura realidade da violência, a conviver com a ocupação nazista e, ao mesmo tempo, com as inquietações de uma paixão arrebatadora. A autora Régine Deforges recria todo o drama da família Delmas na luta pela sobrevivência e nos leva por uma viagem ao mundo das sensações e descobertas da mocidade. A bicicleta azul é o primeiro romance da série épica de mesmo título que consagrou a escritora francesa, vendeu mais de 6 milhões de exemplares em todo o mundo e marcou toda uma geração.

#01 A Bicicleta Azul

1939. Bordeaux, França. A jovem Léa Delmas, de 17 anos, desperta para o amor e para o sexo. Mas o início da Segunda Guerra Mundial interrompe bruscamente a alegria da sua juventude. Léa se vê obrigada a enfrentar a dura realidade da violência, a conviver com a ocupação nazista e, ao mesmo tempo, com as inquietações de uma paixão arrebatadora. A autora Régine Deforges recria todo o drama da família Delmas na luta pela sobrevivência e nos leva por uma viagem ao mundo das sensações e descobertas da mocidade. A bicicleta azul é o primeiro romance da série épica de mesmo título que consagrou a escritora francesa, vendeu mais de 6 milhões de exemplares em todo o mundo e marcou toda uma geração.

#02 Vontade de Viver

1942, França ocupada. Auge da Segunda Guerra Mundial. Neste segundo volume da série ‘A bicicleta azul’, a jovem Léa Delmas descobre, entre seus parentes e amigos, a crueldade da delação, da covardia e do colaboracionismo. Alguns, porém, preferem lutar, mesmo que corram sérios riscos. Este é o caminho escolhido por Léa, que se engaja na Resistência para combater os alemães e tentar salvar as pessoas que ama. Unindo-se à luta de seu país, ela testemunha todas as perversidades praticadas pelos invasores. Uma situação extrema que Léa enfrentará com muito sofrimento.

#03 O Sorriso do Diabo

Régine Deforges nasceu em Montmerillon em agosto de 1935. Filha de um empresário rico, estudou nas melhores escolas da região até 1960, quando mudou-se para Paris. Lá dedicou-se ao comércio de livros até fundar sua própria editora. Envolveu-se na luta pela liberdade de expressão, e por insistir na publicação de autores execrados, como Apollinaire, Gautier e Restif de la Bretonne, sofreu retaliações de conservadores, a ponto de decretar a falência. Em 1976, lançou seu primeiro romance, Blanche et Lucie.

#04 Tango Negro

Tango Negro é um romance que relata o sofrimento e a revolta daqueles que sobreviveram ao holocausto. Léa Delmas convence o amigo François Tavernier a juntar-se e ela na criacao de uma rede de vingadores destinados a caçar e executar nazistas.

#05 Rua de Seda

Mais uma vez Léa Delmas e François Tavernier lutam por um ideal. Desta vez, François é encarregado de negociar a paz com o presidente do Vietnã, que luta por independência. Léa junta-se a ele, e mais uma vez, eles se vêem cercados pelos horrores da guerra.

#06 A Última Colina

Reencontramos neste livro Léa e François Tavernier, as inesquecíveis personagens de ´A Bicicleta Azul´ da mesma autora deste livro. Ambos estão na Ásia, no início dos anos 50, mais uma vez, bem no meio de um conflito armado. A história começa no Vietnã, em Saigon, cidade que mistura prazeres e intrigas. E é lá que eles participam de uma secreta missão que pode mudar totalmente os rumos da guerra.

#07 Cuba libre!

Em ‘CUBA LIBRE!’ os leitores irão se reencontrar com Léa e François Tavernier, que sobreviveram à II Guerra Mundial e passaram um bom tempo viajando pelo mundo à caça de nazistas foragidos e envolvendo-se em diversos conflitos armados em lugares tão distantes quanto a Indochina. Dessa vez, Léa e François embarcam para Cuba com seus filhos. Procuram esquecer o desastre asiático no qual se meterem em A última colina. Mas são novamente capturados pela aventura na ilha onde reinava Fulgêncio Batista, ditador que mantinha a máfia norte-americana. Rapidamente Charles, filho adotivo de Léa, se envolve no movimento revolucionário. Procurado pela polícia de Batista, ele se une a Fidel castro e sua rebelião, que espera a hora H na Sierra Maestre. Preocupada, Léa parte em sua busca e o encontra na companhia de Che Guevara, que conheceu anos antes na Argentina (em Tango negro) e de Camilo Cienfuegos, que se torna seu amante. Enquanto os dois estão envolvidos com aluta armada que acaba por derrubar a ditadura de Batista, François vai para a Argélia, que luta pela independência da França. Envolvidos em conflitos pela liberdade em lugares diferentes, Léa e François lutam não só pela propria vida, mas pela possibilidade de reencontrar um ao outro.

#08 Argel, a Cidade Branca

Quinze anos depois do fim da Segunda Guerral Mundial, Lea, intrépida heroína de “Bicicleta Azul” , está de volta à França. Entretanto, o mundo horrorizado do pós-guerra caminhava da Argentina à Havana revolucionária, passando pela Indochina em pleno caos. Contudo, no final dos anos 50, a França não são somente cinzas: a guerra que semeou o ódio na Argélia agita todo o país. O General de Gaulle acusa François Tavernier de explorar, além do Mediterrâneo, uma população inquieta e um exército atentado pelo golpe. Já em Paris, Lea e Charles, seu filho adotivo, aos poucos tomam partido da independência e se envolvem, ao lado dos porteurs de valises, em perigosas operações de apoio aos militantes argelinos. Assim que a Rebelião de janeiro de 1960 se precipita em Argel pelo golfo, Lea deve reencontrar François para escapar das suspeitas da Serviço de Segurança Nacional: A partir daí acontecimentos dramáticos ocorrem e colocam duramente em prova tanto suas convicções quanto seu amor. Argel: Cidade Branca retrata em traços chamejantes, o retrato complexo de um mundo que se dirije ao fim ou à Renascença.

 

 

EPUB – 8 volumes