Schopenhauer – Jair Barboza

Schopenhauer – Jair Barboza

Arthur Schopenhauer entrou para a história como um filósofo pessimista, ou melhor, um filósofo do pessimismo. Graças ao niilismo, interpretações de teorias kantianas, o irracionalismo, sua aversão aos hegelianos e ideias budistas. Para o filósofo o mundo era indiferente a nossa vida, tudo não passava de interpretações espúrias e fantasiosas.
A filosofia alemã na época pensava que a razão era condutora do mundo, Schopenhauer inverte os papéis e coloca a vontade com princípio. Notável no título de sua principal obra “O Mundo como Vontade de Representação”, influenciou Nietzsche e Freud, por exemplo.

No livro “Schopenhauer” (Jorge Zahar, 2003) da coleção Passo a Passo, o professor de filosofia Jair Barboza, aponta os princípios do pensamento e da obra deste incrivelmente simpático filósofo alemão.

Schopenhauer – Jair BarbozaArthur Schopenhauer entrou para a história como um filósofo pessimista, ou melhor, um filósofo do pessimismo. Graças ao niilismo, interpretações de teorias kantianas, o irracionalismo, sua aversão aos hegelianos e ideias budistas. Para o filósofo o mundo era indiferente a nossa vida, tudo não passava de interpretações espúrias e fantasiosas.
A filosofia alemã na época pensava que a razão era condutora do mundo, Schopenhauer inverte os papéis e coloca a vontade com princípio. Notável no título de sua principal obra “O Mundo como Vontade de Representação”, influenciou Nietzsche e Freud, por exemplo.

No livro “Schopenhauer” (Jorge Zahar, 2003) da coleção Passo a Passo, o professor de filosofia Jair Barboza, aponta os princípios do pensamento e da obra deste incrivelmente simpático filósofo alemão.