Problema Vital, Jeca tatu e outros textos – Monteiro Lobato

Problema Vital, Jeca tatu e outros textos – Monteiro Lobato

Tendo como foco central os problemas envolvendo a saúde do brasileiro, a coleção de textos Problema Vital saiu em forma de livro pela primeira vez em 1918. Mais tarde, dividiria o mesmo volume de Mister Slang e o Brasil nas Obras Completas organizadas pelo próprio Lobato em meados de 1940. Abrindo com “A ação de Oswaldo Cruz”, homenagem ao pioneiro do Instituto de Manguinhos, no Rio de Janeiro, discorre sobre as consequências da malária, do impaludismo e da anemia, entre outras doenças facilmente erradicáveis com medidas profiláticas.
Exemplo disso é a figura de Jeca Tatu, que nasce no artigo “Urupês”, em dezembro de 1914 nas páginas O Estado de S.Paulo. Se antes vivia desanimado, agora toma remédios, adota hábitos higiênicos e recupera as forças. Adaptado pelo escritor para promover o Biotônico Fontoura, transforma-se na peça publicitária de maior sucesso e longevidade que se tem notícia no país.

Problema Vital, Jeca tatu e outros textos - Monteiro Lobato Tendo como foco central os problemas envolvendo a saúde do brasileiro, a coleção de textos Problema Vital saiu em forma de livro pela primeira vez em 1918. Mais tarde, dividiria o mesmo volume de Mister Slang e o Brasil nas Obras Completas organizadas pelo próprio Lobato em meados de 1940. Abrindo com “A ação de Oswaldo Cruz”, homenagem ao pioneiro do Instituto de Manguinhos, no Rio de Janeiro, discorre sobre as consequências da malária, do impaludismo e da anemia, entre outras doenças facilmente erradicáveis com medidas profiláticas.
Exemplo disso é a figura de Jeca Tatu, que nasce no artigo “Urupês”, em dezembro de 1914 nas páginas O Estado de S.Paulo. Se antes vivia desanimado, agora toma remédios, adota hábitos higiênicos e recupera as forças. Adaptado pelo escritor para promover o Biotônico Fontoura, transforma-se na peça publicitária de maior sucesso e longevidade que se tem notícia no país.

1 comentário em “Problema Vital, Jeca tatu e outros textos – Monteiro LobatoAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *