Por que os líderes mentem: toda a verdade sobre as mentiras na política internacional – John J. Mearsheimer

Por que os líderes mentem: toda a verdade sobre as mentiras na política internacional – John J. Mearsheimer

No século XIX o diplomata britânico sir Henry Wotton definiu um embaixador como um enviado honesto para mentir no estrangeiro pelo bem de seu país. A afirmação de Wotton vai ao encontro do senso comum de que política e mentira são indissociáveis na sociedade de hoje. O professor de ciência política da Universidade de Chicago, John J. Mearsheimer, porém, chegou a uma conclusão surpreendente depois de investigar à fundo a questão e garante: os políticos mentem pouco quando confrontados com questões internacionais.A razão é simples, mentir para outro estadista em assuntos cruciais é muito arriscado, e quase sempre traz resultados negativos inesperados. E o autor complementa: durante momentos de crise, a mentira pode ser um instrumento estratégico.Há diferenças entre mentir para a população do próprio país e para outras nações, e casos em que o emprego de mentiras pode ser útil estrategicamente – como para evitar uma guerra. Para ilustrar seus argumentos, o autor utiliza fartos exemplos históricos e dá grande destaque à política americana recente, como, analisando temas como as mentiras catastróficas contadas pelo governo Bush a fim de convencer a população americana a apoiar guerras no Iraque e no Afeganistão. A primeira análise sistemática da mentira como ferramenta de governo, identificando seus motivos, as variedades e seus possíveis custos e benefícios.

No século XIX o diplomata britânico sir Henry Wotton definiu um embaixador como um enviado honesto para mentir no estrangeiro pelo bem de seu país. A afirmação de Wotton vai ao encontro do senso comum de que política e mentira são indissociáveis na sociedade de hoje. O professor de ciência política da Universidade de Chicago, John J. Mearsheimer, porém, chegou a uma conclusão surpreendente depois de investigar à fundo a questão e garante: os políticos mentem pouco quando confrontados com questões internacionais.A razão é simples, mentir para outro estadista em assuntos cruciais é muito arriscado, e quase sempre traz resultados negativos inesperados. E o autor complementa: durante momentos de crise, a mentira pode ser um instrumento estratégico.Há diferenças entre mentir para a população do próprio país e para outras nações, e casos em que o emprego de mentiras pode ser útil estrategicamente – como para evitar uma guerra. Para ilustrar seus argumentos, o autor utiliza fartos exemplos históricos e dá grande destaque à política americana recente, como, analisando temas como as mentiras catastróficas contadas pelo governo Bush a fim de convencer a população americana a apoiar guerras no Iraque e no Afeganistão. A primeira análise sistemática da mentira como ferramenta de governo, identificando seus motivos, as variedades e seus possíveis custos e benefícios.

Quer baixar rapidamente e sem propaganda? Faça sua assinatura clicando aqui

1 comentário em “Por que os líderes mentem: toda a verdade sobre as mentiras na política internacional – John J. MearsheimerAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *