Pesquisa: ebooks ainda pagam mais imposto que impressos ao redor do mundo

Pesquisa: ebooks ainda pagam mais imposto que impressos ao redor do mundo

A International Publishers Association (IPA) e a Federação de Editores Europeus (FEP) divulgaram um relatório que detalha a taxa de impostos cobrados sobre ebooks e livros impressos em 79 países. A pesquisa apontou que 69% das nações aplicam as taxas integrais para ebooks. No caso dos impressos, a proporção cai para 22%.

A International Publishers Association (IPA) e a Federação de Editores Europeus (FEP) divulgaram um relatório que detalha a taxa de impostos cobrados sobre ebooks e livros impressos em 79 países. A pesquisa apontou que 69% das nações aplicam as taxas integrais para ebooks. No caso dos impressos, a proporção cai para 22%.

Também foi apontado que em 35 países os ebooks têm maior incidência de impostos do que os livros impressos. Em somente 18 nações não há impostos sobre ebooks, e em quatro as taxas são reduzidas em relação a outros produtos.

Na Hungria, por exemplo, livros impressos têm imposto de 5%, enquanto a taxa para os ebooks chega a 27%. Na América Latina, Equador, Peru e Uruguai ainda discriminam o digital, cobrando impostos entre 12% e 22% dos ebooks, mas isentando os impressos.

O Brasil surge no levantamento entre o grupo de países que isentam ebooks e livros impressos. Porém, a isenção para os ebooks ainda tramita no Congresso Nacional, em um projeto de lei que se arrasta desde 2012.

José Borghino, diretor de política da IPA, diz, no relatório, que a entidade “advoga por uma mudança para taxação zero sobre todos os livros”, já que são um “tipo especial de commodity” em quaisquer formatos. “Em muitos países, ebooks continuam sujeitos a uma discriminação injustificável, que negligencia o desenvolvimento tecnológico. Essa distinção está atrasando o crescimento do mercado de ebooks em geral e especialmente nos países que não falam inglês. Reduzir o imposto sobre ebooks obviamente faz sentido se quisermos manter a leitura acessível, independemente do formato”.

Confira mais dados da pesquisa
  • 37 países cobram a mesma taxa de imposta para ebooks e impressos
  • Em média, o imposto cobrado para impressos é de 5,75%
  • Em média, o imposto cobrado para ebooks é de 12,25%
  • O Chile é o único país latino-americano que não aplica imposto zero para livros impressos
  • Oito dos 13 países africanos pesquisados tem taxa zero para livros impressos. Porém, desses países cobram impostos de ebooks entre 5% e 18%
  • Os EUA não estão contemplados no relatório porque cada estado tem uma legislação diferente para impostos

Fonte: Ebook News

 

1 comentário em “Pesquisa: ebooks ainda pagam mais imposto que impressos ao redor do mundoAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *