Os boêmios – Marquês de Pelleport

Os boêmios – Marquês de Pelleport

Inspirado no Dom Quixote de Cervantes e equiparado a Os 120 dias de Sodoma, do Marquês de Sade, ao lado dos quais deveria figurar na estante dos clássicos, Os boêmios é mais que um folhetim erótico: trata-se de uma análise demolidora do clero na França do século XVIII. O livro conta a história de um bando de “filósofos” que percorrem a região de Champagne sem um destino definido, alimentando-se de galinhas roubadas dos camponeses.

Publicado em 1790, esse romance inusitado continuaria relegado ao esquecimento não tivesse Robert Darnton — que assina a introdução e as notas da edição — encontrado em Paris um dos seis exemplares que restaram da destruição promovida por seu próprio editor.

Inspirado no Dom Quixote de Cervantes e equiparado a Os 120 dias de Sodoma, do Marquês de Sade, ao lado dos quais deveria figurar na estante dos clássicos, Os boêmios é mais que um folhetim erótico: trata-se de uma análise demolidora do clero na França do século XVIII. O livro conta a história de um bando de “filósofos” que percorrem a região de Champagne sem um destino definido, alimentando-se de galinhas roubadas dos camponeses.
 
Publicado em 1790, esse romance inusitado continuaria relegado ao esquecimento não tivesse Robert Darnton — que assina a introdução e as notas da edição — encontrado em Paris um dos seis exemplares que restaram da destruição promovida por seu próprio editor.
 
Links Retirados
Links Retirados

1 comentário em “Os boêmios – Marquês de PelleportAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *