Olhos de Cão Azul – Gabriel García Márquez

Olhos de Cão Azul – Gabriel García Márquez

Reunindo onze contos escritos entre 1947 e 1955, ‘Olhos de Cão Azul’ é uma introdução à obra particularíssima de Gabriel García Márquez. Nestas histórias, o autor colombiano apresenta as perspectivas, os motivos, a liberdade e a fantasia de um estilo que iria desenvolver em obras que o consagraram como um dos maiores escritores do século. O tema central desta coletânea é a morte. Apresentando-se de diversas maneiras, ela é uma presença inevitável, resumo de toda uma experiência de vida que define os personagens. Há histórias de mortos adquirindo consciência da morte, naquela faixa intermediária entre o ser vivo – ainda consciente – e o ser morto – que pretende adquirir consciência como o homem que é ‘corpo’ e ‘caveira’do conto ‘A terceira renúncia’. Há, também, vidas que são como mortes, como nos contos ‘A outra costela da morte’ e ‘Eva está dentro de seu gato’. Essa mesma morte apresenta-se como uma solução para o problema existencial, pois propicia uma plenitude impossível de ser obtida no decorrer da vida, como em ‘Nabo, o negro que fez esperar os anjos’. Em ‘Olhos de Cão Azul’, García Márquez recria a realidade hispano-americana mágica, inserindo nela o homem contemporâneo com sua problemática existencial, seus enigmas e sonhos. Neste universo móvel e descentrado, ele inventa um espaço para o real e resgata o mundo americano do esquecimento, criando uma literatura autônoma e original.

Olhos-de-Cão-Azul-Gabriel-García-MárquezReunindo onze contos escritos entre 1947 e 1955, ‘Olhos de Cão Azul’ é uma introdução à obra particularíssima de Gabriel García Márquez. Nestas histórias, o autor colombiano apresenta as perspectivas, os motivos, a liberdade e a fantasia de um estilo que iria desenvolver em obras que o consagraram como um dos maiores escritores do século. O tema central desta coletânea é a morte. Apresentando-se de diversas maneiras, ela é uma presença inevitável, resumo de toda uma experiência de vida que define os personagens. Há histórias de mortos adquirindo consciência da morte, naquela faixa intermediária entre o ser vivo – ainda consciente – e o ser morto – que pretende adquirir consciência como o homem que é ‘corpo’ e ‘caveira’do conto ‘A terceira renúncia’. Há, também, vidas que são como mortes, como nos contos ‘A outra costela da morte’ e ‘Eva está dentro de seu gato’. Essa mesma morte apresenta-se como uma solução para o problema existencial, pois propicia uma plenitude impossível de ser obtida no decorrer da vida, como em ‘Nabo, o negro que fez esperar os anjos’. Em ‘Olhos de Cão Azul’, García Márquez recria a realidade hispano-americana mágica, inserindo nela o homem contemporâneo com sua problemática existencial, seus enigmas e sonhos. Neste universo móvel e descentrado, ele inventa um espaço para o real e resgata o mundo americano do esquecimento, criando uma literatura autônoma e original.

2 comentários em “Olhos de Cão Azul – Gabriel García MárquezAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *