O problema dos e-books

O problema dos e-books

Os e-books têm diversas vantagens: eles podem ser lidos em vários dispositivos; podem ser adquiridos imediatamente através da internet; e (às vezes) custam menos que a versão física. Mas há uma grande desvantagem nos livros eletrônicos com DRM: eles não são realmente seus.

Via Gizmodo

Os e-books têm diversas vantagens: eles podem ser lidos em vários dispositivos; podem ser adquiridos imediatamente através da internet; e (às vezes) custam menos que a versão física. Mas há uma grande desvantagem nos livros eletrônicos com DRM: eles não são realmente seus.

Alguns leitores no Reino Unido estão aprendendo isso da maneira mais difícil porque o Nook, da Barnes & Noble, vai interromper suas operações no país.

A livraria americana B&N quis ser uma oponente para a Amazon no mundo dos e-books, e lançou um leitor concorrente chamado Nook em 2009. Desde então, vieram diversas variantes que superavam o Kindle em ergonomia, e que traziam alguns recursos únicos – o Nook ganhou tela iluminada antes de existir o Kindle Paperwhite, por exemplo.

No entanto, concorrer com a Amazon se provou mais difícil que o esperado. Assim, a B&N simplificou sua linha de produtos, vendendo apenas um e-reader (mais tablets Galaxy Tab 4 com a marca Nook) e decidindo encerrar seus serviços fora dos EUA.

Este é o aviso no site do Nook no Reino Unido (grifo nosso):

A partir de 15 de março de 2016, o NOOK deixará de vender conteúdo digital no Reino Unido. A NOOK Store em dispositivos NOOK vendidos no Reino Unido, no app para Android e em nook.com/gb cessarão as operações.

Para atender às suas necessidades de leitura digitais daqui para frente, o Nook fez uma parceria com o premiado Sainsbury’s Entertainment on Demand para garantir que você tenha acesso contínuo à grande maioria de seus livros NOOK a nenhum custo adicional.

Detalhes de como transferir seus livros NOOK para uma conta nova ou existente da Sainsbury’s Entertainment on Demand serão enviados por e-mail durante as próximas semanas. Certifique-se de ler esses e-mails, pois eles conterão informações importantes sobre o que fazer a seguir.

“… acesso contínuo à grande maioria de seus livros NOOK…” Eles nem mesmo prometem que você poderá transferir todos os seus livros!

Você não é dono dos seus e-books protegidos por DRM (gerenciamento de direitos digitais). Você apenas licencia o privilégio de lê-los. E quando a empresa que mantém esses livros passa por dificuldades, isso afeta todos os clientes.

Este não é o único problema do DRM em e-books. Em 2009, a Amazon apagou remotamente cópias dos livros 1984 e A Revolução dos Bichos, de George Orwell: a editora não tinha permissão para vendê-los, então os clientes foram ressarcidos – mas perderam o livro e suas anotações.

Em 2012, uma usuária da Amazon foi banida do serviço sem aviso prévio, porque a conta estava “diretamente relacionada a outra que foi fechada por abuso de nossas políticas”. Isso significa que toda a biblioteca dela no Kindle evaporou junto. Alguns dias depois, após pressão do público, a Amazon restaurou o acesso à conta.

Por esses motivos, é uma boa ideia comprar e-books que não sejam protegidos por DRM. A própria Amazon vende livros assim, e você pode conferi-los se fizer as seguintes buscas no Google:

site:www.amazon.com -forum “Simultaneous Device Usage: Unlimited”

site:www.amazon.com.br -forum “ler este eBook ao mesmo tempo: Ilimitado”

Claro, há casos em que livros não estão disponíveis sem DRM. Se isso for um problema, o jeito é comprar uma cópia física ou usar ferramentas como o Calibre.

[The Register e TechDirt via Paleofuture]

1 comentário em “O problema dos e-booksAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *