O Primeiro Alquimista – Sofia Martinez

O Primeiro Alquimista – Sofia Martinez

Sofia Martinez escreveu um romance histórico sobre a vida na aldeia da Fraga, um povoado da Idade do Bronze situado junto a Macedo de Cavaleiros.
Enquanto percorrem o vale em busca do minério necessário para fabricar bronze, o mestre fundidor a aldeia da Fraga e o seu aprendiz ouvem um pedido de ajuda. O que encontram é uma rapariga desconhecida, nitidamente em circunstâncias difíceis e muito assustada ante a perspectiva de ter de revelar seja o que for a seu respeito. Mas Bran não lho exige e, encantado com o que parece ser uma bênção da sua deusa, decide levar a rapariga consigo até à aldeia, onde espera poder adoptá-la como sua filha. Mas a estranha, a quem Bran chamou Nan-tai, tem também os seus segredos e a razão que a levou a uma fuga desesperada pode ser denunciada, pois o seu povo de origem prepara-se para estabelecer relações com o povo da Fraga.Centrada, em grande medida nos dois protagonistas e na forma como estes assumem o seu papel perante o povo que passa a ser o seu, esta é uma história aparentemente muito simples, mas que, escrita com fluidez e conjugando as medidas certas de acção, contexto e emoção, se torna envolvente desde as primeiras páginas.

O Primeiro Alquimista – Sofia MartinezSofia Martinez escreveu um romance histórico sobre a vida na aldeia da Fraga, um povoado da Idade do Bronze situado junto a Macedo de Cavaleiros.
Enquanto percorrem o vale em busca do minério necessário para fabricar bronze, o mestre fundidor a aldeia da Fraga e o seu aprendiz ouvem um pedido de ajuda. O que encontram é uma rapariga desconhecida, nitidamente em circunstâncias difíceis e muito assustada ante a perspectiva de ter de revelar seja o que for a seu respeito. Mas Bran não lho exige e, encantado com o que parece ser uma bênção da sua deusa, decide levar a rapariga consigo até à aldeia, onde espera poder adoptá-la como sua filha. Mas a estranha, a quem Bran chamou Nan-tai, tem também os seus segredos e a razão que a levou a uma fuga desesperada pode ser denunciada, pois o seu povo de origem prepara-se para estabelecer relações com o povo da Fraga.Centrada, em grande medida nos dois protagonistas e na forma como estes assumem o seu papel perante o povo que passa a ser o seu, esta é uma história aparentemente muito simples, mas que, escrita com fluidez e conjugando as medidas certas de acção, contexto e emoção, se torna envolvente desde as primeiras páginas.