O demônio do meio-dia: uma anatomia da depressão – Andrew Solomon

O demônio do meio-dia: uma anatomia da depressão – Andrew Solomon

Ir ao fundo do poço é uma expressão leve para descrever a experiência de vida do autor Andrew Solomon. Ele desceu mesmo foi às profundezas do inferno para vencer uma das síndromes que mais aflige a humanidade nos dias de hoje: a depressão. Fruto de sua dolorosa, dramática e vitoriosa trajetória durante doença, O demônio do meio-dia é um livro intensamente envolvente, sagaz, construtivo e humano.

O demônio do meio-dia, no entanto, não se restringe a um simples relato do autor sobre sua relação com a doença. Muito pelo contrário. Inspirado pelo que sentiu na própria pele, Andrew faz uma investigação ampla e minuciosa, o mais abrangente estudo sobre a depressão publicado nos últimos tempos.

Mundialmente, a doença vem alcançando índices alarmantes de morte,inclusive nos países em desenvolvimento, perdendo em números apenas para as doenças cardíacas. A depressão ceifa mais vidas do que a guerra, o câncer e a AIDS juntos. Mas, se levarmos em consideração que outras doenças – do alcoolismo aos males do coração – mascaram a depressão quando esta é a causa, podemos concluir que ela pode ser a maior assassina existente na face da terra.

Nada escapa ao olhar arguto e à determinação de Andrew para dissecar a doença. Ele descreve a dor de outros, em diferentes culturas e sociedades, pessoas cujas vidas foram estilhaçadas pela depressão.

Um relato pessoal, comovente, chocante, esclarecedor e magnificamente escrito sobre depressão, estresse e a maneira como vivemos hoje em dia

Vencedor do 2001 National Book Award e finalista do The Pulitzer Prize Board 2002

“Escrito com elegância, fruto de meticulosa pesquisa. Esclarecedor e empático, erudito e útil.” – Time

Ir ao fundo do poço é uma expressão leve para descrever a experiência de vida do autor Andrew Solomon. Ele desceu mesmo foi às profundezas do inferno para vencer uma das síndromes que mais aflige a humanidade nos dias de hoje: a depressão. Fruto de sua dolorosa, dramática e vitoriosa trajetória durante doença, O demônio do meio-dia é um livro intensamente envolvente, sagaz, construtivo e humano.

O demônio do meio-dia, no entanto, não se restringe a um simples relato do autor sobre sua relação com a doença. Muito pelo contrário. Inspirado pelo que sentiu na própria pele, Andrew faz uma investigação ampla e minuciosa, o mais abrangente estudo sobre a depressão publicado nos últimos tempos.

Mundialmente, a doença vem alcançando índices alarmantes de morte,inclusive nos países em desenvolvimento, perdendo em números apenas para as doenças cardíacas. A depressão ceifa mais vidas do que a guerra, o câncer e a AIDS juntos. Mas, se levarmos em consideração que outras doenças – do alcoolismo aos males do coração – mascaram a depressão quando esta é a causa, podemos concluir que ela pode ser a maior assassina existente na face da terra.

Nada escapa ao olhar arguto e à determinação de Andrew para dissecar a doença. Ele descreve a dor de outros, em diferentes culturas e sociedades, pessoas cujas vidas foram estilhaçadas pela depressão.

Englobando as questões mais amplas que cercam tal assunto, Solomon revela as implicações históricas, sociais, biológicas, químicas e médicas dessa terrível doença. Conduz-nos por pavilhões de hospitais psiquiátricos onde alguns de seus pesquisados estão aprisionados há décadas; por laboratórios onde pesquisadores de ponta estão elaborando novos modos de visualizar o cérebro; e nos leva até os pobres do campo e da cidade, também afligidos pelo fardo do mal. O autor analisa, ainda, as medicações e os coquetéis farmacêuticos de hoje, e investiga medidas extremas, inclusive eletrochoque e cirurgia cerebral.

É fundamental perceber como a depressão pode ser fatal. Mas há maneiras de se levar uma boa vida com depressão, como bem relata o autor ao revelar seu estado atual: “No momento, tenho conseguido conter a incapacitação que a depressão causa, mas a depressão, em si, vive para sempre na escrita cifrada de meu cérebro. É parte de mim. Travar guerra contra a depressão é lutar contra si mesmo, e é importante saber disso antes das batalhas. Nenhum livro pode abarcar a extensão do sofrimento humano, mas espero que indicar tal extensão ajude a liberar algumas pessoas que sofrem da mencionada afecção. Jamais poderemos eliminar toda a infelicidade, e aliviar a depressão não assegura a felicidade, mas espero que o conhecimento contido nesse livro ajude a a eliminar parte da dor em algumas pessoas.”

Talvez um dos aspectos mais fascinantes da obra de Solomon seja revelar o papel vital da vontade e do amor no processo de recuperação da doença. Para ele, examinar a depressão e as emoções que a rodeiam é examinar o que é possuir um eu,o que é,enfim, ser humano. Envolvente, perspicaz, construtivo , profundamente inteligente, O demônio do meio-dia é um livro que pode mudar mentes e, quem sabe, até mesmo salvar vidas.

1 comentário em “O demônio do meio-dia: uma anatomia da depressão – Andrew SolomonAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *