O Caderno de Malte Laurids Brigge – Rainer Maria Rilke

O Caderno de Malte Laurids Brigge – Rainer Maria Rilke

“Os Cadernos de Malte Laurids Brigge” são, na verdade, uma viagem em busca da existência sem deformações. O personagem Malte Laurids Brigge narra suas experiências e impressões pessoais, interpretando situações cotidianas sob uma ótica subjetiva e intimista.
Com sensibilidade aguda, questiona fatos que costumeiramente não são analisados, refletindo sobre os fins últimos da vida e seu grande mistério – a morte. Brigge, que sofre da mesma doença que vitimou seu avô, “a coisa grande”, como ele a define, conclui que a morte é solitária, particular. Essas circunstâncias culminam na epifania que o leva a afirmar, que a visão não é na verdade um dom inato, mas uma faculdade a ser buscada e cultivada no decorrer da vida.

O Caderno de Malte Laurids Brigge - Rainer Maria Rilke“Os Cadernos de Malte Laurids Brigge” são, na verdade, uma viagem em busca da existência sem deformações. O personagem Malte Laurids Brigge narra suas experiências e impressões pessoais, interpretando situações cotidianas sob uma ótica subjetiva e intimista.
Com sensibilidade aguda, questiona fatos que costumeiramente não são analisados, refletindo sobre os fins últimos da vida e seu grande mistério – a morte. Brigge, que sofre da mesma doença que vitimou seu avô, “a coisa grande”, como ele a define, conclui que a morte é solitária, particular. Essas circunstâncias culminam na epifania que o leva a afirmar, que a visão não é na verdade um dom inato, mas uma faculdade a ser buscada e cultivada no decorrer da vida.