Nietzsche – Jean Granier

Nietzsche – Jean Granier

“Nietzsche morre em Weimar em 25 de agosto de 1900: no próprio limiar desse século do niilismo que teve no escritor seu lúcido arauto e, por antecipação, seu heroico adversário.”

A rejeição de Nietzsche a qualquer sistema filosófico tradicional inaugura a filosofia como interpretação, único “método” capaz de abarcar a variedade de abordagens e a mescla de gêneros do autor de Assim falou Zaratustra e Ecce homo. Em Nietzsche, Jean Granier discute como é possível mergulhar em uma obra que foi deixada inacabada e que sofreu graves mutilações, tais como as engendradas pela irmã de Nietzsche, que alinhou seus escritos a ideologias nazifascistas. As principais obras nietzschianas são aqui discutidas, trazendo à luz desde as primeiras reflexões do jovem professor de filologia grega até as críticas mais ferrenhas produzidas na maturidade.

Nietzsche – Jean Granier“Nietzsche morre em Weimar em 25 de agosto de 1900: no próprio limiar desse século do niilismo que teve no escritor seu lúcido arauto e, por antecipação, seu heroico adversário.”

A rejeição de Nietzsche a qualquer sistema filosófico tradicional inaugura a filosofia como interpretação, único “método” capaz de abarcar a variedade de abordagens e a mescla de gêneros do autor de Assim falou Zaratustra e Ecce homo. Em Nietzsche, Jean Granier discute como é possível mergulhar em uma obra que foi deixada inacabada e que sofreu graves mutilações, tais como as engendradas pela irmã de Nietzsche, que alinhou seus escritos a ideologias nazifascistas. As principais obras nietzschianas são aqui discutidas, trazendo à luz desde as primeiras reflexões do jovem professor de filologia grega até as críticas mais ferrenhas produzidas na maturidade.