Minha Luta – Adolf Hitler

Minha Luta – Adolf Hitler

Mein Kampf (em português Minha Luta) é o título do livro em dois volumes de autoria de Adolf Hitler, no qual ele expressou suas idéias anti-semíticas, nacionalistas e racialistas, então adotadas pelo partido nazista. O primeiro volume foi escrito na prisão e editado em 1925, o segundo foi escrito por Hitler fora da prisão, e editado no ano seguinte. Mein Kampf tornou-se um guia ideológico e de ação para os nazistas e também atualmente os neonazistas, sendo chamado de “Bíblia Nazista”. É importante ressaltar que as idéias propostas em Mein Kampf não surgiram com Hitler, originaram-se em teorias e argumentos então correntes na Europa. Na Alemanha nazista era uma exigência não-oficial possuir o livro, porém, devido ao seu tamanho, muitos alemães na realidade, não o leram. Para se casar os noivos precisavam de um exemplar do livro, todos os estudantes o recebiam na sua formatura em todos os colégios.

Mein Kampf (em português Minha Luta) é o título do livro em dois volumes de autoria de Adolf Hitler, no qual ele expressou suas ideias anti-semíticas, nacionalistas e racialistas, então adotadas pelo partido nazista. O primeiro volume foi escrito na prisão e editado em 1925, o segundo foi escrito por Hitler fora da prisão, e editado no ano seguinte. Mein Kampf tornou-se um guia ideológico e de ação para os nazistas e também atualmente os neonazistas, sendo chamado de “Bíblia Nazista”. É importante ressaltar que as ideias propostas em Mein Kampf não surgiram com Hitler, originaram-se em teorias e argumentos então correntes na Europa. Na Alemanha nazista era uma exigência não-oficial possuir o livro, porém, devido ao seu tamanho, muitos alemães na realidade, não o leram. Para se casar os noivos precisavam de um exemplar do livro, todos os estudantes o recebiam na sua formatura em todos os colégios.

 

1 comentário em “Minha Luta – Adolf HitlerAdicione o seu →

  1. Parabéns pela iniciativa. Não devemos ignorar a existência de livros como esses e tão pouco as atrocidades cometidas, temos sim que aprender com tudo o que foi feito.

  2. Como ja escreveu Hannah Arendt, os horrores do nazismo não devem ser banalizados, mas também não devem jamais serem esquecidos.
    Este livro guiou pessoas pelo vale das travas, mas hoje pode servir como guia para entendermos as “razões” que levaram a esse vale.
    Obrigado

  3. na minha opinião,não se deve ter nojo de uma ideologia,ela nada mais é que a compilação de ideias sobre algo,quem quer,lê,quem não quer,ignora,simples e pratico,fica a dica ai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *