Laranja Mecânica – Anthony Burgess

Laranja Mecânica – Anthony Burgess

Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex – soberbamente engendrada pelo autor – empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de “1984″, de George Orwell, e “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley, “Laranja Mecânica” é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.

Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex – soberbamente engendrada pelo autor – empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de “1984″, de George Orwell, e “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley, “Laranja Mecânica” é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX.  Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.

 

1 comentário em “Laranja Mecânica – Anthony BurgessAdicione o seu →

  1. Este livro é uma verdadeira delícia de ler. As gírias em Nadsat dão um ar de inocência ao protagonista, que, como todos sabem, é uma pessoa terrível. Não sou muito de comparações com filmes, até porque a versão do Kubrick é uma obra-prima indiscutível. Mas gosto muito mesmo do livro.

  2. Era isto que estava faltando pra eu convencer meu marido a se apaixonar pela leitura, um bom livro em um bom site.

    Agora sim, trarei mai um para o mundo dos livros!!!

  3. dos livros distópicos que são sempre citados talvez laranja mecânica seja o único que ainda não tive a oportunidade de ler, e agora finalmente o lerei. obrigado, exilado !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *