Joseph Fouché: Retrato de um homem político – Stefan Zweig

Joseph Fouché: Retrato de um homem político – Stefan Zweig

Maquiavel da era moderna, político foi considerado por Balzac um dos personagens mais interessantes da história da França

Com imbatível talento narrativo, Stefan Zweig oferece um perfil psicológico do homem político, investigando essa carreira construída atrás do palco principal e buscando descobrir o segredo de sua força. Capaz de abraçar qualquer ideologia e aceitar qualquer cargo, amoral, urdidor, que traiu a Igreja e todas as instituições da Revolução Francesa, que derrubou, entre outros, Robespierre, Lafayette e até Napoleão. Fouché só não traiu a viciosa e insaciável sede de poder que o colocou no papel do mais abjeto governante da era moderna.

Um único partido mereceu sua lealdade até o fim da vida: o mais forte, o da maioria. Durante o combate, Fouché não definia posição; no final do combate, alinhava-se ao vencedor. Os girondinos caíram, ele ficou; os jacobinos foram expulsos, ele ficou; o Diretório, o Consulado, o Império, o Reinado e outro Império desabaram, e Fouché ficou – sempre disposto a abrir mão de qualquer caráter ou convicção.

Complementa essa edição um afiado posfácio de Alberto Dines, maior especialista em Zweig, que contextualiza o livro e aponta perigosas semelhanças com a atualidade.

Maquiavel da era moderna, político foi considerado por Balzac um dos personagens mais interessantes da história da França

Com imbatível talento narrativo, Stefan Zweig oferece um perfil psicológico do homem político, investigando essa carreira construída atrás do palco principal e buscando descobrir o segredo de sua força. Capaz de abraçar qualquer ideologia e aceitar qualquer cargo, amoral, urdidor, que traiu a Igreja e todas as instituições da Revolução Francesa, que derrubou, entre outros, Robespierre, Lafayette e até Napoleão. Fouché só não traiu a viciosa e insaciável sede de poder que o colocou no papel do mais abjeto governante da era moderna.

Um único partido mereceu sua lealdade até o fim da vida: o mais forte, o da maioria. Durante o combate, Fouché não definia posição; no final do combate, alinhava-se ao vencedor. Os girondinos caíram, ele ficou; os jacobinos foram expulsos, ele ficou; o Diretório, o Consulado, o Império, o Reinado e outro Império desabaram, e Fouché ficou – sempre disposto a abrir mão de qualquer caráter ou convicção.

Complementa essa edição um afiado posfácio de Alberto Dines, maior especialista em Zweig, que contextualiza o livro e aponta perigosas semelhanças com a atualidade.

Quer baixar rapidamente e sem propaganda? Faça sua assinatura clicando aqui

1 comentário em “Joseph Fouché: Retrato de um homem político – Stefan ZweigAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *