Fuga do Campo 14 – Blaine Harden

Fuga do Campo 14 – Blaine Harden

Shin Dong-hyuk nasceu e cresceu em um campo de trabalhos forçados na Coreia do Norte. Até hoje, é o único prisioneiro com esse perfil que conseguiu escapar.

Shin viveu 23 anos de sua vida no Campo 14, um dos imensos complexos destinados aos presos políticos em meio às montanhas íngremes da Coreia do Norte. Localizado cerca de 80 km ao norte de Pyongyang, capital do país, é um distrito de controle total para casos considerados irredimíveis. Seus residentes, tratados como escória, não têm acesso sequer à doutrinação ideológica – o que incluía os ensinamentos do Querido Líder Kim Jong Il. Trabalham de 12 a 15 horas por dia em minas de carvão, fábricas e fazendas, muitas vezes em situações de risco, até encontrarem a morte em execuções sumárias, acidentes de trabalho ou doenças relacionadas à desnutrição. Quem nasce no Campo 14 está condenado à prisão perpétua por conta dos supostos delitos cometidos por seus antepassados. As crianças aprendem a sentir vergonha de seu sangue traiçoeiro e a “lavar” sua herança pecaminosa delatando os próprios pais. De lá, ninguém foge.

Shin é a exceção. Ele sobreviveu às cercas eletrificadas da prisão e, mesmo sem conhecer ninguém no mundo exterior, deixou para trás a Coreia do Norte. Mas, além das cicatrizes das torturas que sofreu, ele também carrega consigo as marcas de uma infância sem amor e um terrível segredo do passado. Fuga do Campo 14 revela com riqueza de detalhes o cotidiano árido e sem perspectivas dos prisioneiros políticos na Coreia do Norte, com um capítulo específico sobre as regras do campo, além de mapas do local e um caderno com desenhos feitos pelo próprio Shin. Em um relato surpreendente, o jornalista Blaine Harden lança luz sobre uma realidade até então oculta e impenetrável aos olhos do Ocidente. Com sensibilidade, ele acompanha a impressionante jornada de Shin rumo à liberdade.

Shin Dong-hyuk nasceu e cresceu em um campo de trabalhos forçados na Coreia do Norte. Até hoje, é o único prisioneiro com esse perfil que conseguiu escapar.

Shin viveu 23 anos de sua vida no Campo 14, um dos imensos complexos destinados aos presos políticos em meio às montanhas íngremes da Coreia do Norte. Localizado cerca de 80 km ao norte de Pyongyang, capital do país, é um distrito de controle total para casos considerados irredimíveis. Seus residentes, tratados como escória, não têm acesso sequer à doutrinação ideológica – o que incluía os ensinamentos do Querido Líder Kim Jong Il. Trabalham de 12 a 15 horas por dia em minas de carvão, fábricas e fazendas, muitas vezes em situações de risco, até encontrarem a morte em execuções sumárias, acidentes de trabalho ou doenças relacionadas à desnutrição. Quem nasce no Campo 14 está condenado à prisão perpétua por conta dos supostos delitos cometidos por seus antepassados. As crianças aprendem a sentir vergonha de seu sangue traiçoeiro e a “lavar” sua herança pecaminosa delatando os próprios pais. De lá, ninguém foge.

Shin é a exceção. Ele sobreviveu às cercas eletrificadas da prisão e, mesmo sem conhecer ninguém no mundo exterior, deixou para trás a Coreia do Norte. Mas, além das cicatrizes das torturas que sofreu, ele também carrega consigo as marcas de uma infância sem amor e um terrível segredo do passado. Fuga do Campo 14 revela com riqueza de detalhes o cotidiano árido e sem perspectivas dos prisioneiros políticos na Coreia do Norte, com um capítulo específico sobre as regras do campo, além de mapas do local e um caderno com desenhos feitos pelo próprio Shin. Em um relato surpreendente, o jornalista Blaine Harden lança luz sobre uma realidade até então oculta e impenetrável aos olhos do Ocidente. Com sensibilidade, ele acompanha a impressionante jornada de Shin rumo à liberdade.

1 comentário em “Fuga do Campo 14 – Blaine HardenAdicione o seu →

  1. Impressionante! Esse livro é obrigatório. É difícil de acreditar como isso é mais surpreendente que qualquer ficção! Sem falar na ótima qualidade do livro! Parabéns!

  2. Li o livro e fiquei impressionado com a realidade que mostra. Depois pensei que podia ser marketagem do escritor, tentando deixar mais tragico e apelativo. Mas existe alguns documentarios no youtube que mostram uma situação tao cruel quanto a descrita no livro, e faz vc odiar mais ainda o governo norte coreano e se sensibilizar com a situação que um homem impoe a outro igual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *