F de Foguete – Ray Bradbury

Compartilhe:

“Estes estranhos e maravilhosos contos de beleza e terror transportarão o leitor da luz às trevas, do espaço interior ao infinito, do início dos tempos aos mais remotos limites do futuro. “As estrelas são suas, se você tiver a mente, as mãos e o coração para elas”. Esta frase, do prefácio de “F de Foguete”, resume o fascínio do autor pelo Espaço e as perspectivas não só científicas e técnicas que derivarão da Era do Espaço, mas também sua infinita e eterna perspectiva humana e psicológica, que se irradia de cada um de seus contos, quer seu tema seja a Era do Espaço, ou simplesmente, o frágil elemento humano.”

(Visited 9 times, 1 visits today)
Compartilhe:

0 thoughts on “F de Foguete – Ray Bradbury

  1. Li ontem o primeiro conto do E de Espaço e curti muito não… pareceu com um filme que vc ta assistindo e de repente acaba, tacam os créditos na tua cara hehe… talvez seja falta de costume com o autor.

  2. F de Foguete – Ray Bradbury

    “Estes estranhos e maravilhosos contos de beleza e terror transportarão o leitor da luz às trevas, do espaço interior ao infinito, do início dos tempos aos mais remotos limites do futuro. “As estrelas são suas, se você tiver a mente, as mãos e o coração para elas”. Esta frase, do prefácio de “F de Foguete”, resume o fascínio do autor pelo Espaço e as perspectivas não só científicas e técnicas que derivarão da Era do Espaço, mas também sua infinita e eterna perspectiva humana e psicológica, que se irradia de cada um de seus contos, quer seu tema seja a Era do Espaço, ou simplesmente, o frágil elemento humano.”

  3. Muito bom… eu tinha esse livro, mas como estava muito mal formatado eu sempre deixava de lado… como sei que o padrão aqui é outro… baixando e vai para a lista.

  4. Bradbury falando de F de Foguete:

    Na margem desses substantivos, tropecei numa história de ficção científica que não era uma ficção científica. Meu título era “F de foguete”. O título publicado foi “King of the Grey Spaces”, a história de dois meninos, grandes amigos, um escolhido para ir para a Academia Espacial, enquanto o outro ficaria em casa. O conto foi rejeitado por todas as revistas de ficção científica porque, na verdade, era apenas uma história sobre a amizade que era testada pela circunstância, ainda que a circunstância fosse uma viagem espacial. Mary Gnaedinger, da Famous Fantastic Mysteries, deu uma olhada na minha história e decidiu publicar. Mas, novamente, eu era jovem demais para ver que “F de foguete” seria o tipo de história que me faria um escritor de ficção científica, admirado por alguns e criticado por muitos que perceberam que eu não era um escritor de ficção científica; eu era um escritor de “pessoas”, e que se dane!

    (…)

    Escrito em Zen e a arte de escrever (disponível neste site). Fantástico.

    Agora é esperar que minha contribuição seja disponibilizada e os meus pontos computados para poder ler este ótimo livro.

  5. "Tampouco esqueci os dinossauros que todos os meninos gostam; eles estão aqui, também, junto com u'a Máquina que viaja para trás no Tempo, para pisar numa borboleta." Ray Bradbury

  6. Do ABC da ficção ciêntifica (Asimov, Bradbury e Clarke), conheço bem o A e o C. Tô correndo atras de saber mais sobre o B. =D

  7. M de mestre. Bradbury sempre sensacional, mas nunca havia ouvido a respeito desse livro. Obrigado mais uma vez, Exilado.

  8. Obrigado! Quero ler pois gosto muito da idéia do filme "O Som do Trovão", cujo um dos contos desse livro serviu de inspiração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *