Estação Terminal: Viajar e Morrer como Animais – Graciela Mochkofsky

Estação Terminal: Viajar e Morrer como Animais – Graciela Mochkofsky

Relato contundente de uma tragédia que desafiou o governo argentino recém-eleito. Ao investigar o desastre na estação de trens Once (centro de Buenos Aires), que deixou 51 mortos e 795 feridos em fevereiro de 2012 e comoveu o país, Graciela Mochkofsky revelou dramas cotidianos e um sistema perverso, corrupto e cínico que pode matar novamente a qualquer momento. Estação terminal é a história das vítimas, que, em um caleidoscópio vertiginoso de narrativas, sofrem o horror do acidente e a incompetência do Estado. Trata-se de um livro denúncia urgente sobre um meio de transporte que um dia já foi o orgulho de uma nação, mas que hoje já não leva seres humanos, mas, como descrito por um dos passageiros a caminho da desgraça, “vacas ao matadouro”. Com base em depoimentos, documentos e registros do processo judicial, Graciela Mochkofsky revela um modelo de fazer negócios por parte do Estado: não mera corrupção, mas toda a lógica do capitalismo na periferia do planeta. A própria autora é quem explica o que a motivou a largar todos os seus projetos em curso para escrever sobre a tragédia de Once: “Desde 22 de fevereiro de 2012, uma questão dominou a consciência nacional – e todo o processo de investigação: por que ocorreu o acidente na estação Once? Acredito que a pergunta esteja mal formulada. A pergunta que importa é outra: por que não ocorrem mais acidentes? A cada nova manhã, tarde e noite, quando um trem carregado de passageiros chega ao seu destino, se produz um milagre.”. Partindo dessa segunda questão, Graciela procurou a resposta e escreveu Estação terminal. Graciela Mochkofsky (Neuquén, 1969) é autora de Timerman – El periodista que quiso ser parte del poder (Planeta, 2003), Pecado original – Clarín, los Kirchner y la lucha por el poder (Planeta, 2011), entre outros. Seu primeiro livro lançado no Brasil é Estação terminal – Viajar e morrer como animais.

Relato contundente de uma tragédia que desafiou o governo argentino recém-eleito. Ao investigar o desastre na estação de trens Once (centro de Buenos Aires), que deixou 51 mortos e 795 feridos em fevereiro de 2012 e comoveu o país, Graciela Mochkofsky revelou dramas cotidianos e um sistema perverso, corrupto e cínico que pode matar novamente a qualquer momento. Estação terminal é a história das vítimas, que, em um caleidoscópio vertiginoso de narrativas, sofrem o horror do acidente e a incompetência do Estado. Trata-se de um livro denúncia urgente sobre um meio de transporte que um dia já foi o orgulho de uma nação, mas que hoje já não leva seres humanos, mas, como descrito por um dos passageiros a caminho da desgraça, “vacas ao matadouro”. Com base em depoimentos, documentos e registros do processo judicial, Graciela Mochkofsky revela um modelo de fazer negócios por parte do Estado: não mera corrupção, mas toda a lógica do capitalismo na periferia do planeta. A própria autora é quem explica o que a motivou a largar todos os seus projetos em curso para escrever sobre a tragédia de Once: “Desde 22 de fevereiro de 2012, uma questão dominou a consciência nacional – e todo o processo de investigação: por que ocorreu o acidente na estação Once? Acredito que a pergunta esteja mal formulada. A pergunta que importa é outra: por que não ocorrem mais acidentes? A cada nova manhã, tarde e noite, quando um trem carregado de passageiros chega ao seu destino, se produz um milagre.”. Partindo dessa segunda questão, Graciela procurou a resposta e escreveu Estação terminal. Graciela Mochkofsky (Neuquén, 1969) é autora de Timerman – El periodista que quiso ser parte del poder (Planeta, 2003), Pecado original – Clarín, los Kirchner y la lucha por el poder (Planeta, 2011), entre outros. Seu primeiro livro lançado no Brasil é Estação terminal – Viajar e morrer como animais.

1 comentário em “Estação Terminal: Viajar e Morrer como Animais – Graciela MochkofskyAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *