Enseada Amena – Augusto Abelaira

Enseada Amena – Augusto Abelaira

Publicado pela 1ª vez em 1966, ‘Enseada Amena’ fazia parte dessa confluência de águas que vinham a juntar-se para formar um renovador e caudaloso curso nas correntes da literatura portuguesa. Era uma outra idade literária que se abria, sendo radicalmente outra, os códigos literários e a própria “ordem moral” subjacente a muito do que a antecedera. Era uma nova visão do mundo que tomava forma e Abelaira foi dos escritores que mais longe levou essa poderosa renovação. «Enseada Amena» é um livro de época e cujo alcance vai muito além do quadro social que lhe serve de referência e que o transcende num sentido do que é, antes de mais, essencialmente humano. Lê-lo resulta fascinante não só pela apuradíssima técnica narrativa, como pelos temas que nos são afinal tão próximos, mas ainda e sobretudo pela delicadeza e inteligência que são uma espécie de marca pessoal do seu autor.

Publicado pela 1ª vez em 1966, ‘Enseada Amena’ fazia parte dessa confluência de águas que vinham a juntar-se para formar um renovador e caudaloso curso nas correntes da literatura portuguesa. Era uma outra idade literária que se abria, sendo radicalmente outra, os códigos literários e a própria “ordem moral” subjacente a muito do que a antecedera. Era uma nova visão do mundo que tomava forma e Abelaira foi dos escritores que mais longe levou essa poderosa renovação. «Enseada Amena» é um livro de época e cujo alcance vai muito além do quadro social que lhe serve de referência e que o transcende num sentido do que é, antes de mais, essencialmente humano. Lê-lo resulta fascinante não só pela apuradíssima técnica narrativa, como pelos temas que nos são afinal tão próximos, mas ainda e sobretudo pela delicadeza e inteligência que são uma espécie de marca pessoal do seu autor.

1 comentário em “Enseada Amena – Augusto AbelairaAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *