Duas Vezes Junho – Martín Kohan

Duas Vezes Junho – Martín Kohan

Qual a ligação entre um erro de ortografia e um dos processos mais desumanos da ditadura argentina? Qual a ligação entre um menino desobediente chutando uma bola e o desaparecimento de 30 mil pessoas naqueles anos sangrentos? Qual a ligação entre o futebol e a política cotidiana nos nossos países? O argentino Martín Kohan conecta esses eventos de forma perturbadora em Duas vezes junho. Entre os dois junhos que separam as Copas do Mundo de 78 e 82, a Argentina viveu uma das mais brutais ditaduras da América Latina. Através da história de um soldado, motorista de um dos médicos militares mais importantes de Buenos Aires, Kohan vai mostrando o processo de desumanização de que é revestida a tortura, a guerra suja e o nacionalismo cego. Como pano de fundo, o futebol. Uma paixão ingênua ou mais um elemento de dominação. Como tudo, aliás. Uma escrita fragmentada, misturando elementos narrativos e outros que beiram o jornalismo, marca a construção literária de Martín Kohan.

Qual a ligação entre um erro de ortografia e um dos processos mais desumanos da ditadura argentina? Qual a ligação entre um menino desobediente chutando uma bola e o desaparecimento de 30 mil pessoas naqueles anos sangrentos? Qual a ligação entre o futebol e a política cotidiana nos nossos países? O argentino Martín Kohan conecta esses eventos de forma perturbadora em Duas vezes junho. Entre os dois junhos que separam as Copas do Mundo de 78 e 82, a Argentina viveu uma das mais brutais ditaduras da América Latina. Através da história de um soldado, motorista de um dos médicos militares mais importantes de Buenos Aires, Kohan vai mostrando o processo de desumanização de que é revestida a tortura, a guerra suja e o nacionalismo cego. Como pano de fundo, o futebol. Uma paixão ingênua ou mais um elemento de dominação. Como tudo, aliás. Uma escrita fragmentada, misturando elementos narrativos e outros que beiram o jornalismo, marca a construção literária de Martín Kohan.

1 comentário em “Duas Vezes Junho – Martín KohanAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *