Dicionário em Construção: Interdisciplinaridade – 2ª Ed. – Ivani Fazenda (Org.)

Dicionário em Construção: Interdisciplinaridade – 2ª Ed. – Ivani Fazenda (Org.)

Interdisciplinaridade é uma nova atitude ante a questão do conhecimento, de abertura à compreensão de aspectos ocultos do ato de aprender.
Exige, portanto, uma profunda imersão no trabalho cotidiano, na prática.
A metáfora que a subsidia determina e auxilia na sua efetivação é a do olhar; metáfora essa que se alimenta de uma natureza mítica diversa.
Cinco princípios subsidiam uma prática interdisciplinar: coerência, humildade, espera, desapego e respeito.
Alguns atributos são próprios, determinam ou identificam esses princípios. São eles a afetividade e o amor, que impelem às trocas intersubjetivas, parcerias.
A interdisciplinaridade pauta-se numa ação em movimento. Esse movimento pode ser percebido em sua natureza ambígua, tendo a metamorfose, a incerteza como pressuposto.
Todo projeto interdisciplinar nasce de um lócus bem delimitado, portanto, é fundamental contextualizar-se para poder conhecer. A contextualização exige uma recuperação da memória em suas diferentes potencialidades.
A análise conceitual facilita a compreensão de elementos interpretativos do cotidiano. Para tanto, é necessário compreender-se a linguagem em sua expressão e comunicação; uma linguagem reflexiva, mas sobretudo corporal.

Interdisciplinaridade é uma nova atitude ante a questão do conhecimento, de abertura à compreensão de aspectos ocultos do ato de aprender.
Exige, portanto, uma profunda imersão no trabalho cotidiano, na prática.
A metáfora que a subsidia determina e auxilia na sua efetivação é a do olhar; metáfora essa que se alimenta de uma natureza mítica diversa.
Cinco princípios subsidiam uma prática interdisciplinar: coerência, humildade, espera, desapego e respeito.
Alguns atributos são próprios, determinam ou identificam esses princípios. São eles a afetividade e o amor, que impelem às trocas intersubjetivas, parcerias.
A interdisciplinaridade pauta-se numa ação em movimento. Esse movimento pode ser percebido em sua natureza ambígua, tendo a metamorfose, a incerteza como pressuposto.
Todo projeto interdisciplinar nasce de um lócus bem delimitado, portanto, é fundamental contextualizar-se para poder conhecer. A contextualização exige uma recuperação da memória em suas diferentes potencialidades.
A análise conceitual facilita a compreensão de elementos interpretativos do cotidiano. Para tanto, é necessário compreender-se a linguagem em sua expressão e comunicação; uma linguagem reflexiva, mas sobretudo corporal.