Deus não é grande: como a religião envenena tudo – Christopher Hitchens

Deus não é grande: como a religião envenena tudo – Christopher Hitchens

Deus não criou à sua imagem, foi o contrário. A partir desta afirmação o jornalista e escritor Christopher Hitchens ataca os alicerces de um dos mais importantes princípios da civilização ocidental – a religião. Questionador e de estilo incisivo, o autor põe em dúvida até o mais beato dos fiéis, mostra por que nenhuma religião oferece uma resposta satisfatória a vários questionamentos e porque a profusão de deuses e religiões tanto tem adiado o desenvolvimento da civilização.

Deus não criou à sua imagem, foi o contrário. A partir desta afirmação o jornalista e escritor Christopher Hitchens ataca os alicerces de um dos mais importantes princípios da civilização ocidental – a religião. Questionador e de estilo incisivo, o autor põe em dúvida até o mais beato dos fiéis, mostra por que nenhuma religião oferece uma resposta satisfatória a vários questionamentos e porque a profusão de deuses e religiões tanto tem adiado o desenvolvimento da civilização.

12 comentários em “Deus não é grande: como a religião envenena tudo – Christopher HitchensAdicione o seu →

  1. Tem gente que não consegue perceber o óbvio! Deus e religião não são a mesma coisa, bem como religião é diferente de espiritualidade! Muita gente por ser anti-clerical, acaba inadvertidamente confundindo as coisas! Mais um livro que confunde as bolas!

  2. Dentre os livros antirreligiosos do movimento neo-ateista, este talvez seja o mais pobre de todos. Talvez rivalize com “A Morte da Fé: religião, terror e o futuro da razão” de Sam Harris.
    Entre os “Quatro Cavaleiros do Ateísmo”, somente Dennet merece respeito. Os demais não passam de polemistas pseudo-intelectuais que se escondem por prás de titulações acadêmicas que não se mostram relevantes cientificamente. Dawkins, por exemplo, não contribui em nada enquanto cientista desde os anos 1970.
    Neste livro, Hitchens se mostra uma pessoa amarga, ferida e revoltada que se traveste de ateu quando na verdade é apenas um antirreligioso magoado. Ele não pode sob qualquer hipótese ser chamado de ateu autêntico. Apenas alguém que odeia Deus e não conseguindo atingi-lo tenta ferir a religião e os religioso, sem sucesso, diga-se de passagem.
    De toda forma, por mais vagos, incipientes e contraditórios que sejam os argumentos, acho válido conhecer opiniões que se querem relevantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *