Contos Novos – Mário de Andrade

Contos Novos – Mário de Andrade

A maturidade artística de Mário de Andrade, no campo da ficção literária, culmina com os Contos Novos, obra publicada postumamente em 1947. Como o autor fez questão de anotar no final de cada narrativa, o livro é fruto de um minucioso processo de elaboração artesanal que compreende várias versões de um mesmo texto e se estende por períodos de tempo que vão de quatro até dezoito anos de preparação… Em relação aos dois primeiros livros do contista – Primeiro Andar (atualmente fazendo parte da Obra Imatura) e Os Contos de Belazarte – os Contos Novos atestam um avanço em direção a um realismo mais denso e crítico. E a chave artística desse evoluir parece ser a contenção: estilo, entrecho, paisagem, tudo agora é mais contido, mais acabado; o resultado é um profundo mergulho na realidade social e psíquica do homem brasileiro.

A maturidade artística de Mário de Andrade, no campo da ficção literária, culmina com os Contos Novos, obra publicada postumamente em 1947. Como o autor fez questão de anotar no final de cada narrativa, o livro é fruto de um minucioso processo de elaboração artesanal que compreende várias versões de um mesmo texto e se estende por períodos de tempo que vão de quatro até dezoito anos de preparação… Em relação aos dois primeiros livros do contista – Primeiro Andar (atualmente fazendo parte da Obra Imatura) e Os Contos de Belazarte – os Contos Novos atestam um avanço em direção a um realismo mais denso e crítico. E a chave artística desse evoluir parece ser a contenção: estilo, entrecho, paisagem, tudo agora é mais contido, mais acabado; o resultado é um profundo mergulho na realidade social e psíquica do homem brasileiro.