Contos Fantásticos – Teófilo Braga

Contos Fantásticos – Teófilo Braga

Coletânea de contos com temas de paixões frenéticas, conducentes a suicídios, mortes, traições, renúncias extremas. Uma das primeiras incursões, feitas por um autor português, no universo da literatura fantástico-gótico, muito pouco validado em Portugal na altura.

Anteriormente publicados no Jornal do Comércio e na Revista Contemporânea de Portugal e Brasil, estes ditos “contos góticos” de Teófilo Braga, refletem no autor uma direta influência de leituras de Hoffman e de EdgarAllan Poe, tal como o seu conhecimento da filosofia esotérica de Swedenborg. Apesar disso, poder-se-à dizer que estas primeiras (e únicas) incursões de Teófilo Braga neste estilo literário, não foram de todo bem sucedidas. E isso porque o autor tentou conciliar um tema com pouca vinculação na literatura da sua época, com os estilos românticos mais populares. Plenos de referências eruditas, estes contos refletem mais as leituras filosóficas do seu autor do que propriamente uma imaginação de artista e não correspondem exatamente ao género fantástico. No entanto estes contos trouxeram, entre nós, muitos aspetos inovadores, pela introdução na narrativa dos finais de 1800, de elementos como o estranho, o misterioso, o sinistro e o macabro.

 Contos Fantásticos – Teófilo Braga Teófilo Braga

Coletânea de contos com temas de paixões frenéticas, conducentes a suicídios, mortes, traições, renúncias extremas. Uma das primeiras incursões, feitas por um autor português, no universo da literatura fantástico-gótico, muito pouco validado em Portugal na altura. Anteriormente publicados no Jornal do Comércio e na Revista Contemporânea de Portugal e Brasil, estes ditos “contos góticos” de Teófilo Braga, refletem no autor uma direta influência de leituras de Hoffman e de EdgarAllan Poe, tal como o seu conhecimento da filosofia esotérica de Swedenborg. Apesar disso, poder-se-à dizer que estas primeiras (e únicas) incursões de Teófilo Braga neste estilo literário, não foram de todo bem sucedidas. E isso porque o autor tentou conciliar um tema com pouca vinculação na literatura da sua época, com os estilos românticos mais populares. Plenos de referências eruditas, estes contos refletem mais as leituras filosóficas do seu autor do que propriamente uma imaginação de artista e não correspondem exatamente ao gênero fantástico. No entanto estes contos trouxeram, entre nós, muitos aspectos inovadores, pela introdução na narrativa dos finais de 1800, de elementos como o estranho, o misterioso, o sinistro e o macabro.

 Contos Fantásticos – Teófilo Braga Teófilo Braga