Contagem decrescente – Ken Follett

Contagem decrescente – Ken Follett

1958: A Guerra Fria está no auge, os Soviéticos ultrapassam os Americanos nos primeiros passos da corrida para a conquista do espaço. Claude Lucas acorda, uma manhã, na Union State de Washington. Vestido com roupas de vagabundo, está afectado por uma amnésia que o impede de se recordar, entre outras coisas, do seu estatuto profissional. Acontece que ele é uma personagem central do próximo lançamento do Explorer I, um foguetão do exército dos EUA. Anthony Carroll, agente da CIA e velho amigo de Lucas, anda a seguir o caso. E convém-lhe que a amnésia não passe tão depressa… Com o seu habitual sentido de suspense, Ken Follett regressa às atribulações do thriller político. Contagem Decrescente, um livro emocionante que vai surpreender os próprios fãs do autor, é um bestseller internacional.

Contagem decrescente - Ken Follett1958: A Guerra Fria está no auge, os Soviéticos ultrapassam os Americanos nos primeiros passos da corrida para a conquista do espaço. Claude Lucas acorda, uma manhã, na Union State de Washington. Vestido com roupas de vagabundo, está afectado por uma amnésia que o impede de se recordar, entre outras coisas, do seu estatuto profissional. Acontece que ele é uma personagem central do próximo lançamento do Explorer I, um foguetão do exército dos EUA. Anthony Carroll, agente da CIA e velho amigo de Lucas, anda a seguir o caso. E convém-lhe que a amnésia não passe tão depressa… Com o seu habitual sentido de suspense, Ken Follett regressa às atribulações do thriller político. Contagem Decrescente, um livro emocionante que vai surpreender os próprios fãs do autor, é um bestseller internacional.

6 comentários em “Contagem decrescente – Ken FollettAdicione o seu →

  1. Exilado, têm sido postados alguns livros em português lusitano. Este, por exemplo, e outros de Clive Cussler.

    Não seria interessante ressaltar essa característica na descrição do livro? Assim aqueles que preferirem podem não baixá-los, enquanto nossos colegas d’além-mar sentir-se-ão mais a vontade para fazê-lo…

    Outrossim, obrigado pelas inestimáveis postagens!

      1. Quem sou eu para criticar qualquer coisa, Exilado! Por exemplo, falando nos africanos, gosto muito do realismo fantástico de Mia Couto, que você já chegou a publicar.

        Apoio sua postura; tem mais é que disponibilizar mesmo, tudo é cultura, além do que é impossível agradar a todos!

        Mas é diferente quando a gente baixa consciente e não se depara com miúdos, raparigas, casas de banho e outros lusitanismos inesperados, tudo em construções gramaticais diversas das nossas costumeiras, hehehe!

        Abração!

        1. Entendi Marcus, sei que não seu caso mas tem gente que prefere em inglês do que português só pelo preconceito! Mas achei boa sua ideia e vou utilizar quando fazer a reorganização de conteúdo.

    1. Eu ia perguntar a msm coisa qdo vi o título “Contagem Decrescente”, a versão BR é “Contagem regressiva”. Semana passada li “O Processo”(Franz Kafka) comprado na Amazon, eles não avisaram q era PT-PT e achei muito ruim a leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *