Confissões – W. Somerset Maugham

Confissões – W. Somerset Maugham

Confissões, de W. Somerset Maugham, foi publicado em 1938 (no Brasil, em 1951, pela Editora Globo), quando o autor já havia passado dos 60 anos. Como ele próprio esclarece, Confissões não é uma autobiografia, nem um livro de memórias. Trata-se, claramente, de ordenar seus pensamentos sobre os assuntos que mais o interessaram no decurso da vida, e de apresentar uma imagem coerente de seus sentimentos, opiniões e convicções particulares. Sobressaem, dentre eles, pelo menos três: o teatro, a literatura e a filosofia. De qualquer modo, os capítulos percorrem tenuemente a cronologia de sua vida como escritor profissional, mas se debruçam somente sobre certas obras suas ou certos acontecimentos, exatamente os que mais o interessaram. E a partir daí, o texto adquire um caráter mais ensaístico e toda a sua parte final visa esclarecer o que o autor pensa sobre os grandes temas da filosofia.

Confissões, de W. Somerset Maugham, foi publicado em 1938 (no Brasil, em 1951, pela Editora Globo), quando o autor já havia passado dos 60 anos. Como ele próprio esclarece, Confissões não é uma autobiografia, nem um livro de memórias. Trata-se, claramente, de ordenar seus pensamentos sobre os assuntos que mais o interessaram no decurso da vida, e de apresentar uma imagem coerente de seus sentimentos, opiniões e convicções particulares. Sobressaem, dentre eles, pelo menos três: o teatro, a literatura e a filosofia. De qualquer modo, os capítulos percorrem tenuemente a cronologia de sua vida como escritor profissional, mas se debruçam somente sobre certas obras suas ou certos acontecimentos, exatamente os que mais o interessaram. E a partir daí, o texto adquire um caráter mais ensaístico e toda a sua parte final visa esclarecer o que o autor pensa sobre os grandes temas da filosofia.

1 comentário em “Confissões – W. Somerset MaughamAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *