City Boy: Minha vida em Nova York – Edmund White

City Boy: Minha vida em Nova York – Edmund White

Esta obra autobiográfica apresenta uma Manhattan sórdida e livre – entre a Revolução Sexual e a descoberta da aids – sob o olhar de Edmund White, que abriu mão de um título em Harvard para perseguir o amor em Nova York, aonde chegou sem saber que rumo tomar. Os anos de 1960 e 1970 foram um período de transformação da cidade e daqueles que se deixavam levar por sua efervescência cultural. Presente na Rebelião de Stonewall em 1969, o autor testemunhou o nascimento do movimento gay, ao mesmo tempo em que progressivamente assumia sua opção sexual. Em meio a tudo isso, convivia com Vladimir Nabokov, Elizabeth Bishop, William Burroughs, Susan Sontag e Jasper Johns. Absorvendo as novas influências, White retrata a cidade da época, onde encontrou sua identidade artística, e relata suas ambições e desejos, seus amores e heróis literários.

“City Boy é um testemunho sincero sobre Nova York, suas ruas mal-iluminadas, em uma época que se podia perder ou ganhar tudo. Intrigante, ácido, mordaz e delicioso, este livro cita nomes e constantemente nos deixa com a pulga atrás da orelha. Homens apaixonados e homens sem amor, artistas no caminho da consagração, estilistas e futuros magnatas se movendo em um submundo capaz de influenciar a cidade e definir uma geração”. Gay Talese.

Esta obra autobiográfica apresenta uma Manhattan sórdida e livre – entre a Revolução Sexual e a descoberta da aids – sob o olhar de Edmund White, que abriu mão de um título em Harvard para perseguir o amor em Nova York, aonde chegou sem saber que rumo tomar. Os anos de 1960 e 1970 foram um período de transformação da cidade e daqueles que se deixavam levar por sua efervescência cultural. Presente na Rebelião de Stonewall em 1969, o autor testemunhou o nascimento do movimento gay, ao mesmo tempo em que progressivamente assumia sua opção sexual. Em meio a tudo isso, convivia com Vladimir Nabokov, Elizabeth Bishop, William Burroughs, Susan Sontag e Jasper Johns. Absorvendo as novas influências, White retrata a cidade da época, onde encontrou sua identidade artística, e relata suas ambições e desejos, seus amores e heróis literários.

“City Boy é um testemunho sincero sobre Nova York, suas ruas mal-iluminadas, em uma época que se podia perder ou ganhar tudo. Intrigante, ácido, mordaz e delicioso, este livro cita nomes e constantemente nos deixa com a pulga atrás da orelha. Homens apaixonados e homens sem amor, artistas no caminho da consagração, estilistas e futuros magnatas se movendo em um submundo capaz de influenciar a cidade e definir uma geração”. Gay Talese.

1 comentário em “City Boy: Minha vida em Nova York – Edmund WhiteAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *