Canção de Susannah – A Torre Negra #06 – Stephen King

Canção de Susannah – A Torre Negra #06 – Stephen King

Inspirada no universo imaginário de J.R.R. Tolkien e repleta de referências à cultura pop, às lendas arturianas e ao faroeste, a série A Torre Negra mistura ficção científica, fantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea. Seus sete volumes reúnem todos os temas sobre os quais Stephen King escreveu ao longo de sua carreira, até o limite da metaficção quando, em A canção de Susannah, a vida real do próprio autor se mistura à trama do livro.

“Eu já escrevi romances e contos suficientes para lotar o sistema solar da imaginação – mas A Torre Negra é o meu Júpiter – o planeta que brilha mais do que todos os outros. Eu me dei conta de que os livros desta série contêm todos os outros que já havia criado”, define o autor.

King começou a escrever a coleção quando ainda era um estudante universitário, na década de 1970. O primeiro volume, O pistoleiro, foi publicado inicialmente em capítulos na revista de ficção científica The Magazine of Fantasy and Science Fiction. Relançado em 1982 em forma de livro, foi seguido por A escolha dos três (1987), Terras devastadas (1991) e Mago e vidro (1997).

Inspirada no universo imaginário de J.R.R. Tolkien e repleta de referências à cultura pop, às lendas arturianas e ao faroeste, a série A Torre Negra mistura ficção científica, fantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea. Seus sete volumes reúnem todos os temas sobre os quais Stephen King escreveu ao longo de sua carreira, até o limite da metaficção quando, em A canção de Susannah, a vida real do próprio autor se mistura à trama do livro.

“Eu já escrevi romances e contos suficientes para lotar o sistema solar da imaginação – mas A Torre Negra é o meu Júpiter – o planeta que brilha mais do que todos os outros. Eu me dei conta de que os livros desta série contêm todos os outros que já havia criado”, define o autor.

King começou a escrever a coleção quando ainda era um estudante universitário, na década de 1970. O primeiro volume, O pistoleiro, foi publicado inicialmente em capítulos na revista de ficção científica The Magazine of Fantasy and Science Fiction. Relançado em 1982 em forma de livro, foi seguido por A escolha dos três (1987), Terras devastadas (1991) e Mago e vidro (1997).