Brasil passado a sujo – Aldir Blanc

Brasil passado a sujo – Aldir Blanc

Aldir Blanc é autor de algumas das mais belas letras do cancioneiro popular brasileiro. Quem não se emocionou, ainda nos tempos da ditadura, antes da anistia, com o resultado de sua comovente parceria com João Bosco, quando Elis Regina soltava a voz em “O Bêbado e o Equilibrista”? Também cronista de costumes, ele surge neste livro como uma espécie de contista, cronista e poeta, que enfoca com ferocidade e ternura personagens comuns do Rio de Janeiro, mas também da conturbada cena nacional. A indignação e o bom humor se mesclam e o resultado é um pungente retrato do brasileiro e do Brasil.

Brasil passado a sujo - Aldir BlancAldir Blanc é autor de algumas das mais belas letras do cancioneiro popular brasileiro. Quem não se emocionou, ainda nos tempos da ditadura, antes da anistia, com o resultado de sua comovente parceria com João Bosco, quando Elis Regina soltava a voz em “O Bêbado e o Equilibrista”? Também cronista de costumes, ele surge neste livro como uma espécie de contista, cronista e poeta, que enfoca com ferocidade e ternura personagens comuns do Rio de Janeiro, mas também da conturbada cena nacional. A indignação e o bom humor se mesclam e o resultado é um pungente retrato do brasileiro e do Brasil.

1 comentário em “Brasil passado a sujo – Aldir BlancAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *