Batman: O Filho do Demônio – Jerry Bingham, Mike W. Barr

Batman: O Filho do Demônio – Jerry Bingham, Mike W. Barr

Investigando um crime, Batman chega a Qaym, um assassino profissional, Rã’s Al Ghul, e sua filha Talia. O Morcego logo descobre que Qaym tem um plano genocida e que este, no passado, assassinara a esposa de Rã’s. Assim, Batman se une ao seu antigo inimigo, para enfrentar a ameaça comum a ambos. Como parte do acordo, o Cavaleiro das Trevas aceita se tornar consorte de Tália, com quem passa a viver maritalmente. A gravidez da bela jovem deixa Batman feliz como nunca esteve antes, chegando a presenteá-la com um belo colar de pedras negras e a se harmonizar com seu inimigo Rã’s Al Ghul. Nesta HQ é mostrada uma outra face do Batman; um homem que nunca aprendeu a lidar com seus sentimentos, uma pessoa cujas manifestações emotivas sempre são extremas, sobretudo quando ligadas a relações familiares. Fica óbvia a deficiência na formação de Bruce Wayne, em seus anos de treino e preparação para se tornar o Morcego. Ele nunca aprendeu a lidar com pessoas. A importância de Alfred na formação do caráter de Bruce Wayne é exposta de forma rápida e efetiva, e faz o leitor lembrar que o principal referencial emotivo na vida do jovem Bruce, por mais amigos que fossem, sempre fora um empregado que respondia às suas ordens. Bruce Wayne acredita que todo seu sofrimento, toda sua motivação, tudo que ele é, está relacionado com a perda de seus pais. Como um pessoa com esse perfil psicológico reagiria à existência de uma família? De uma esposa? De um filho? Esta história sofre críticas acirradas de alguns fãs do Batman. Afinal, é difícil para alguém que conhece a personalidade do Homem-Morcego, acreditar que ele mudaria tanto e tão rapidamente. Mais complicado ainda é aceitar que desse uma arma para Rã’s atirar em seus oponentes.

Batman: O Filho do Demônio - Jerry Bingham, Mike W. BarrInvestigando um crime, Batman chega a Qaym, um assassino profissional, Rã’s Al Ghul, e sua filha Talia. O Morcego logo descobre que Qaym tem um plano genocida e que este, no passado, assassinara a esposa de Rã’s. Assim, Batman se une ao seu antigo inimigo, para enfrentar a ameaça comum a ambos. Como parte do acordo, o Cavaleiro das Trevas aceita se tornar consorte de Tália, com quem passa a viver maritalmente. A gravidez da bela jovem deixa Batman feliz como nunca esteve antes, chegando a presenteá-la com um belo colar de pedras negras e a se harmonizar com seu inimigo Rã’s Al Ghul. Nesta HQ é mostrada uma outra face do Batman; um homem que nunca aprendeu a lidar com seus sentimentos, uma pessoa cujas manifestações emotivas sempre são extremas, sobretudo quando ligadas a relações familiares. Fica óbvia a deficiência na formação de Bruce Wayne, em seus anos de treino e preparação para se tornar o Morcego. Ele nunca aprendeu a lidar com pessoas. A importância de Alfred na formação do caráter de Bruce Wayne é exposta de forma rápida e efetiva, e faz o leitor lembrar que o principal referencial emotivo na vida do jovem Bruce, por mais amigos que fossem, sempre fora um empregado que respondia às suas ordens. Bruce Wayne acredita que todo seu sofrimento, toda sua motivação, tudo que ele é, está relacionado com a perda de seus pais. Como um pessoa com esse perfil psicológico reagiria à existência de uma família? De uma esposa? De um filho? Esta história sofre críticas acirradas de alguns fãs do Batman. Afinal, é difícil para alguém que conhece a personalidade do Homem-Morcego, acreditar que ele mudaria tanto e tão rapidamente. Mais complicado ainda é aceitar que desse uma arma para Rã’s atirar em seus oponentes.

1 comentário em “Batman: O Filho do Demônio – Jerry Bingham, Mike W. BarrAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *