Amazon vai vender livro importado como se fosse nacional

Amazon vai vender livro importado como se fosse nacional

A notícia é boa para quem compra livros importados e pode deixar a concorrência incomodada. A Amazon decidiu ampliar seu catálogo internacional de 10 mil para 100 mil títulos impressos e vai vendê-los, a partir desde sábado, de acordo com sua política agressiva de preço. Na prática, será como comprar na Amazon americana, mas sem pagamento de frete internacional ou IOF – e, eventualmente, com algum desconto adicional. “Nosso valor não vai refletir o preço dos Estados Unidos. Temos nossa regra interna e sabemos que preço é fundamental. Por isso, revemos os valores periodicamente para deixá-los competitivos”, disse Daniel Mazini, líder da área de livros impressos, à coluna.

Amazon dá novo passo na tentativa de dominar o mercado

A notícia é boa para quem compra livros importados e pode deixar a concorrência incomodada. A Amazon decidiu ampliar seu catálogo internacional de 10 mil para 100 mil títulos impressos e vai vendê-los, a partir desde sábado, de acordo com sua política agressiva de preço. Na prática, será como comprar na Amazon americana, mas sem pagamento de frete internacional ou IOF – e, eventualmente, com algum desconto adicional. “Nosso valor não vai refletir o preço dos Estados Unidos. Temos nossa regra interna e sabemos que preço é fundamental. Por isso, revemos os valores periodicamente para deixá-los competitivos”, disse Daniel Mazini, líder da área de livros impressos, à coluna.

Um exemplo: hoje, a versão original, em inglês, do best-seller O Capital no Século 21, de Thomas Piketty, custa cerca de R$ 170 na Cultura e na Saraiva e R$ 111 (sem contar o IOF) na Amazon americana. Na amazon.com.br, ele vai custar R$ 79,90. A cobrança de frete segue o padrão local: grátis para compras acima de R$ 69,90 (Sul, Sudeste e Centro-oeste) e de R$ 99 (Norte e Nordeste). O envio de um livro dos Estados Unidos para cá sai por cerca de US$ 10.

O ideal seria ter os livros no centro de distribuição para uma entrega mais ágil, acredita Mazini, mas é impossível. Há uma certa quantidade dos títulos mais populares. “Com o início do serviço vamos aprender o que o brasileiro quer e o que compra”, diz.


Fonte: Babel, Estadão

3 comentários em “Amazon vai vender livro importado como se fosse nacionalAdicione o seu →

  1. A Amazon ainda está errando em não deixar dividir as compras de livros! Não sei a quantas anda o rendimento de venda da Amazon BR, mas é essencial poder comprar os livros e dividir a compra em pelo menos 3 vezes sem juros! O brasileiro vive de dividir as compras, a maioria não tem capital para comprar a vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *