A vontade radical – Susan Sontag

A vontade radical – Susan Sontag

A vontade radical, segunda coletânea de ensaios de Susan Sontag, dá continuidade às investigações empreendidas em seu livro anterior, Contra a interpretação. São textos escritos entre 1966 e 1969 que tratam de cinema, literatura, política e, caso do mais célebre deles, pornografia.
Os cineastas Ingmar Bergman e Jean-Luc Godard, o dramaturgo Samuel Beckett e os escritores Rainer Maria Rilke e William Borroughs compõem o panteão da cultura moderna analisado nesses textos.
Completam o volume reflexões agudas sobre o pensamento do filósofo romeno Emil Cioran e ainda o clássico libelo contra a guerra do Vietnã, escrito por ocasião da visita de Sontag a Hanói.

A vontade radical, segunda coletânea de ensaios de Susan Sontag, dá continuidade às investigações empreendidas em seu livro anterior, Contra a interpretação. São textos escritos entre 1966 e 1969 que tratam de cinema, literatura, política e, caso do mais célebre deles, pornografia.
Os cineastas Ingmar Bergman e Jean-Luc Godard, o dramaturgo Samuel Beckett e os escritores Rainer Maria Rilke e William Borroughs compõem o panteão da cultura moderna analisado nesses textos.
Completam o volume reflexões agudas sobre o pensamento do filósofo romeno Emil Cioran e ainda o clássico libelo contra a guerra do Vietnã, escrito por ocasião da visita de Sontag a Hanói.
Links Retirados
Links Retirados

1 comentário em “A vontade radical – Susan SontagAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *