A Visita Cruel do Tempo – Jennifer Egan

A Visita Cruel do Tempo – Jennifer Egan

Bennie Salazar é um executivo da indústria musical. Ex-integrante de uma banda de punk, ele foi o responsável pela descoberta e pelo sucesso dos Conduits, cujo guitarrista, Bosco, fazia com que Iggy Pop parecesse tranquilo no palco. Jules Jones é um repórter de celebridades preso por atacar uma atriz durante uma entrevista e vê na última — e suicida — turnê de Bosco a oportunidade de reerguer a própria carreira.

Jules é irmão de Stephanie, casada com Bennie, que teve como mentor Lou, um produtor musical viciado em cocaína e em garotinhas. Sasha é a assistente cleptomaníaca de Bennie, e seu passado desregrado e seu futuro estruturado parecem tão desconexos quanto as tramas dos muitos personagens que compõem esta história sobre música, sobrevivência e a suscetibilidade humana sob as garras do tempo.

Bennie Salazar é um executivo da indústria musical. Ex-integrante de uma banda de punk, ele foi o responsável pela descoberta e pelo sucesso dos Conduits, cujo guitarrista, Bosco, fazia com que Iggy Pop parecesse tranquilo no palco. Jules Jones é um repórter de celebridades preso por atacar uma atriz durante uma entrevista e vê na última — e suicida — turnê de Bosco a oportunidade de reerguer a própria carreira.

Jules é irmão de Stephanie, casada com Bennie, que teve como mentor Lou, um produtor musical viciado em cocaína e em garotinhas. Sasha é a assistente cleptomaníaca de Bennie, e seu passado desregrado e seu futuro estruturado parecem tão desconexos quanto as tramas dos muitos personagens que compõem esta história sobre música, sobrevivência e a suscetibilidade humana sob as garras do tempo.

10 comentários em “A Visita Cruel do Tempo – Jennifer EganAdicione o seu →

  1. Esta ilustre senhora é uma das autoras contemporâneas mais interessantes que já li. Possui um assustador domínio da escrita e da estrutura literária, além de ser precisa na construção de personagens. Em “A visita cruel do tempo” ela consegue passar por inúmeros personagens, sem provocar confusão e estabelecendo um alto grau de identificação naquilo que temos de mais humano. O livro passa por vários níveis de narrador, atingindo patamares absurdos como o funcionamento de um homem em surto psicótico até o diário em slide de uma criança, sem nunca perder o tom, nem a capacidade de compreensão do personagem. Eu leria, se fosse você.

  2. Eu li esse livro, mas nao gostei o tempo todo.

    Só pra citar como exemplo, teve um personagem por quem eu tinha verdadeira repulsa. Quando o foco estava sobre ele (um capítulo inteiro dedicado ao dito cujo), tive que fazer um esforco pra ler até o fim.

    Por outro lado, gostei bastante da trama com os personagens adolescentes (Rhea, Jocelyn, Bennie etc).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *