A Queima Roupa – Vicente Vilardaga

A Queima Roupa – Vicente Vilardaga

A conclusão da história de amor entre Pimenta Neves e Sandra Gomide ficou nacionalmente conhecida: inconformado com o final do namoro, o influente diretor de redação do jornal O Estado de S. Paulo, assassinou a ex-namorada com dois tiros à queima-roupa. O homicídio foi o último ato de uma trama que teve início alguns anos antes, no momento em que Pimenta assumiu a diretoria da Gazeta Mercantil, o mesmo jornal em que Sandra trabalhava. Após uma entrevista de cinco horas com o ex-diretor e a partir de depoimentos de mais de sessenta fontes – na maioria jornalistas que, como ele, conviveram com o casal -, Vicente Vilardaga, o único jornalista a entrevistar Pimenta após o crime, faz um resgate histórico do caso, numa narrativa primorosa e afiada. De forma reveladora, o livro traça a situação real presente em redações de grandes veículos e o abuso de poder por parte da empresa. E leva o leitor a refletir sobre a que ponto pode chegar a mente de um jornalista que liga para sua própria redação e confessa que acabou de assassinar alguém para garantir o furo da notícia.

A-Queima-Roupa-Vicente-VilardagaA conclusão da história de amor entre Pimenta Neves e Sandra Gomide ficou nacionalmente conhecida: inconformado com o final do namoro, o influente diretor de redação do jornal O Estado de S. Paulo, assassinou a ex-namorada com dois tiros à queima-roupa. O homicídio foi o último ato de uma trama que teve início alguns anos antes, no momento em que Pimenta assumiu a diretoria da Gazeta Mercantil, o mesmo jornal em que Sandra trabalhava. Após uma entrevista de cinco horas com o ex-diretor e a partir de depoimentos de mais de sessenta fontes – na maioria jornalistas que, como ele, conviveram com o casal -, Vicente Vilardaga, o único jornalista a entrevistar Pimenta após o crime, faz um resgate histórico do caso, numa narrativa primorosa e afiada. De forma reveladora, o livro traça a situação real presente em redações de grandes veículos e o abuso de poder por parte da empresa. E leva o leitor a refletir sobre a que ponto pode chegar a mente de um jornalista que liga para sua própria redação e confessa que acabou de assassinar alguém para garantir o furo da notícia.