A Presa de Sharpe – As Aventuras de Sharpe #05 – Bernard Cornwell

A Presa de Sharpe – As Aventuras de Sharpe #05 – Bernard Cornwell

No ano de 1807, o tenente Richard Sharpe vaga solitário pelas ruas de Londres. De volta à Inglaterra, após bem-sucedidas missões na Índia e na Espanha, a carreira do oficial parece chegar ao fim. Longe da amada Lady Grace e relegado ao posto de intendente, Sharpe recebe uma arriscada tarefa: fazer companhia a John Lavisser, nobre oficial que vai a Copenhague subornar o príncipe-herdeiro dinamarquês, e com isso impedir uma nova guerra. A Dinamarca é dona de uma frota mercante gigantesca, protegida por uma marinha imbatível. No porto de Copenhague, embarcações chegam e partem dia e noite, em um movimento somente inferior aos portos ingleses. Derrotados na Batalha de Trafalgar, os franceses planejam tomar a capital dinamarquesa e se apossar de toda a armada nacional, substituindo os navios perdidos na costa espanhola em outubro de 1805. Os ingleses agora devem impedi-los. Richard Sharpe recebe a ordem de proteger Lavisser contra os agentes franceses espalhados por toda a Copenhague. É uma acirrada guerra de bastidores, onde espiões e a mais pura brutalidade são moeda corrente. E nesse terrível cenário, Sharpe é um peão destinado ao sacrifício. Mas algumas vezes os peões podem mudar o jogo. Quando Sharpe descobre um traidor em seu meio, cria as próprias regras, lançando-se em uma luta feroz para se manter vivo.

A Presa de Sharpe - As Aventuras de Sharpe #05 - Bernard CornwellNo ano de 1807, o tenente Richard Sharpe vaga solitário pelas ruas de Londres. De volta à Inglaterra, após bem-sucedidas missões na Índia e na Espanha, a carreira do oficial parece chegar ao fim. Longe da amada Lady Grace e relegado ao posto de intendente, Sharpe recebe uma arriscada tarefa: fazer companhia a John Lavisser, nobre oficial que vai a Copenhague subornar o príncipe-herdeiro dinamarquês, e com isso impedir uma nova guerra. A Dinamarca é dona de uma frota mercante gigantesca, protegida por uma marinha imbatível. No porto de Copenhague, embarcações chegam e partem dia e noite, em um movimento somente inferior aos portos ingleses. Derrotados na Batalha de Trafalgar, os franceses planejam tomar a capital dinamarquesa e se apossar de toda a armada nacional, substituindo os navios perdidos na costa espanhola em outubro de 1805. Os ingleses agora devem impedi-los. Richard Sharpe recebe a ordem de proteger Lavisser contra os agentes franceses espalhados por toda a Copenhague. É uma acirrada guerra de bastidores, onde espiões e a mais pura brutalidade são moeda corrente. E nesse terrível cenário, Sharpe é um peão destinado ao sacrifício. Mas algumas vezes os peões podem mudar o jogo. Quando Sharpe descobre um traidor em seu meio, cria as próprias regras, lançando-se em uma luta feroz para se manter vivo.