A Lua vem da Ásia – Walter Campos de Carvalho

A Lua vem da Ásia – Walter Campos de Carvalho

A Lua Vem da Ásia conta, em forma de diário, a trajetória de um ser incomum pelas mais diversas geografias possíveis e impossíveis, em busca de um entendimento diante da vida (e da morte), desafiando com muita ironia a lógica do mundo.

Publicado em 1956, o livro inaugura a narrativa surrealista na obra de Walter Campos de Carvalho (1916-1998), mineio de Uberaba radicado em São Paulo. Autor de pelo menos quatro pequenas obras-primas da literatura brasileira – A Lua vem da Ásia (1956), Vaca de nariz sutil (1961), A chuva imóvel (1963) e O púcaro búlgaro (1964) -, abandonou subitamente a literatura, sem explicação. Apesar de notório mau-humor, o escritor (o primeiro – e talvez o último – escritor verdadeiramente surrealista do Brasil) tinha no riso o instrumento de crítica à sociedade de massa, consumista e belicosa.

A Lua vem da Ásia – Walter Campos de CarvalhoA Lua Vem da Ásia conta, em forma de diário, a trajetória de um ser incomum pelas mais diversas geografias possíveis e impossíveis, em busca de um entendimento diante da vida (e da morte), desafiando com muita ironia a lógica do mundo.

Publicado em 1956, o livro inaugura a narrativa surrealista na obra de Walter Campos de Carvalho (1916-1998), mineio de Uberaba radicado em São Paulo. Autor de pelo menos quatro pequenas obras-primas da literatura brasileira – A Lua vem da Ásia (1956), Vaca de nariz sutil (1961), A chuva imóvel (1963) e O púcaro búlgaro (1964) -, abandonou subitamente a literatura, sem explicação. Apesar de notório mau-humor, o escritor (o primeiro – e talvez o último – escritor verdadeiramente surrealista do Brasil) tinha no riso o instrumento de crítica à sociedade de massa, consumista e belicosa.


1 comentário em “A Lua vem da Ásia – Walter Campos de CarvalhoAdicione o seu →

Comentário está encerrados. Você não pode adicionar novos comentários.