A grande fome: Contos (1932-1959) – John Fante

A grande fome: Contos (1932-1959) – John Fante

Descobertos em 1994 pelo biógrafo Stephen Cooper, os dezessete textos do americano John Fante (1909-1983) reunidos nesse volume, entre contos e fragmentos de romances, são inéditos no Brasil. Mesmo o Prólogo para Pergunte ao Pó, um resumo de seu romance mais conhecido, pode ser considerado uma novidade para o leitor: a edição que o texto ganhou nos anos 1990 era incompleta, ao contrário da que segue nesse livro. Produzidos entre 1932 e 1959, os textos revelam tanto o escritor em fase de maturação como já maduro, preocupado, por exemplo, com questões imigratórias. Além do ineditismo, esta edição tem como destaque as notas do organizador — no caso, o próprio biógrafo de Fante, que lança mão de informações da vida do escritor para ampliar os textos. “Fante morava num apartamento em Long Beach com Helen Purcell, no número 962 da East Fourth Street, quando escreveu A Mãe de Jake, no início de 1933. O modo como Petey morre na história remete à morte do primo favorito de Fante, Mario Campiglia, atropelado por um carro em Denver ainda quando garoto”, escreve Cooper em suas notas. Na esteira do lançamento de A Grande Fome, a José Olympio reedita Pergunte ao Pó, grande clássico de John Fante, escritor que serviu de referência para outros autores icônicos, como Charles Bukowski.

Descobertos em 1994 pelo biógrafo Stephen Cooper, os dezessete textos do americano John Fante (1909-1983) reunidos nesse volume, entre contos e fragmentos de romances, são inéditos no Brasil.  Mesmo o Prólogo para Pergunte ao Pó, um resumo de seu romance mais conhecido, pode ser considerado uma novidade para o leitor: a edição que o texto ganhou nos anos 1990 era incompleta, ao contrário da que segue nesse livro. Produzidos entre 1932 e 1959, os textos revelam tanto o escritor em fase de maturação como já maduro, preocupado, por exemplo, com questões imigratórias. Além do ineditismo, esta edição tem como destaque as notas do organizador — no caso, o próprio biógrafo de Fante, que lança mão de informações da vida do escritor para ampliar os textos. “Fante morava num apartamento em Long Beach com Helen Purcell, no número 962 da East Fourth Street, quando escreveu A Mãe de Jake, no início de 1933. O modo como Petey morre na história remete à morte do primo favorito de Fante, Mario Campiglia, atropelado por um carro em Denver ainda quando garoto”, escreve Cooper em suas notas. Na esteira do lançamento de A Grande Fome, a José Olympio reedita Pergunte ao Pó, grande clássico de John Fante, escritor que serviu de referência para outros autores icônicos, como Charles Bukowski.

1 comentário em “A grande fome: Contos (1932-1959) – John FanteAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *