A Fúria de Sharpe – As Aventuras de Sharpe #11 – Bernard Cornwell

A Fúria de Sharpe – As Aventuras de Sharpe #11 – Bernard Cornwell

Corre o ano de 1811. Com o exército britânico acantonado numa pequena parcela de Portugal, e com toda a Espanha nas mãos do invasor exceptuando a pequena cidade costeira de Cádiz, os franceses parecem ter vencido a guerra. O Capitão Richard Sharpe não tem nada que fazer em Cádiz mas, quando o ataque a uma ponte controlada pelos granceses corre desastrosamente mal – acompanhado por Harper, o seu leal sargento irlandês, e pelo detestável Brigadeiro Moon -, Sharpe dá por si numa cidade sitiada pelos franceses. É também uma cidade dividida pela rivalidade política. Alguns espanhóis acreditam que o futuro do seu país será melhor se romperem a sua aliança com a Grã-Bretanha e forjarem uma amizade com a França de Napoleão, a sua causa sai fortalecida quando algumas cartas de amor escritas pelo embaixador britânico a uma prostituta caem em seu poder. Recorrem à chantagem e Sharpe, criado e ensinado a lutar nas ruas de Londres, é mandado para as vielas de Cádiz com a missão de encontrar a mulher e recuperar as cartas. No entanto, derrotar os chantagistas não salvará a cidade. Tal missão é atribuída ao carismático escocês Sir Thomas Graham, que conduz uma pequena força britânica ao ataque das linhas de cerco francesas. O ataque corre terrivelmente mal e o exército de Sir Thomas, em inferioridade numérica, fica entre a espada e a parede, e numa manhã de Março, em Barrosa, Richard Sharpe dá por si envolvido num dos mais deseperados combates de infantaria que alguma vez travou. Sir Thomas tem os seus motivos para desejar vingança, tal como Sharpe, que se lança na batalha à procura do coronel que precipitou o desastre que surpreendeu Sharpe em Cádiz. Numa sangrenta e arrepiante batalha, Sharpe e os ingleses conseguem a vingança e a vitória, mas a um preço terrível. Um triunfo da batalha histórica e ficcional, A Fúria de Sharpe vai arrebatar os antigos e os novos admiradores de Sharpe com as incríveis aventuras do seu ídolo.

A Fúria de Sharpe - As Aventuras de Sharpe #11 - Bernard CornwellCorre o ano de 1811. Com o exército britânico acantonado numa pequena parcela de Portugal, e com toda a Espanha nas mãos do invasor exceptuando a pequena cidade costeira de Cádiz, os franceses parecem ter vencido a guerra. O Capitão Richard Sharpe não tem nada que fazer em Cádiz mas, quando o ataque a uma ponte controlada pelos granceses corre desastrosamente mal – acompanhado por Harper, o seu leal sargento irlandês, e pelo detestável Brigadeiro Moon -, Sharpe dá por si numa cidade sitiada pelos franceses. É também uma cidade dividida pela rivalidade política. Alguns espanhóis acreditam que o futuro do seu país será melhor se romperem a sua aliança com a Grã-Bretanha e forjarem uma amizade com a França de Napoleão, a sua causa sai fortalecida quando algumas cartas de amor escritas pelo embaixador britânico a uma prostituta caem em seu poder. Recorrem à chantagem e Sharpe, criado e ensinado a lutar nas ruas de Londres, é mandado para as vielas de Cádiz com a missão de encontrar a mulher e recuperar as cartas. No entanto, derrotar os chantagistas não salvará a cidade. Tal missão é atribuída ao carismático escocês Sir Thomas Graham, que conduz uma pequena força britânica ao ataque das linhas de cerco francesas. O ataque corre terrivelmente mal e o exército de Sir Thomas, em inferioridade numérica, fica entre a espada e a parede, e numa manhã de Março, em Barrosa, Richard Sharpe dá por si envolvido num dos mais deseperados combates de infantaria que alguma vez travou. Sir Thomas tem os seus motivos para desejar vingança, tal como Sharpe, que se lança na batalha à procura do coronel que precipitou o desastre que surpreendeu Sharpe em Cádiz. Numa sangrenta e arrepiante batalha, Sharpe e os ingleses conseguem a vingança e a vitória, mas a um preço terrível. Um triunfo da batalha histórica e ficcional, A Fúria de Sharpe vai arrebatar os antigos e os novos admiradores de Sharpe com as incríveis aventuras do seu ídolo.

1 comentário em “A Fúria de Sharpe – As Aventuras de Sharpe #11 – Bernard CornwellAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *