A Crise do Islã: Guerra Santa e Terror Profano – Bernard Lewis

A Crise do Islã: Guerra Santa e Terror Profano – Bernard Lewis

Nesse livro, Bernard Lewis examina as raízes históricas do ressentimento que uma parcela dos adeptos do islamismo nutre com relação ao que qualifica como “mundo infiel”. Partindo da fundação da religião muçulmana pelo profeta Maomé, o autor traça, de maneira crítica, uma linha do tempo que percorre a era dos califas, o Império Otomano, a ameaça representada pelos cruzados, a dominação colonial européia e a intensificação dos conflitos entre Oriente e Ocidente nos últimos tempos. Em texto sucinto, Lewis concentra-­se em particular nos acontecimentos do século XX que estão na origem dos violentos confrontos atuais: a formação do Estado de Israel, a Guerra Fria, a Revolução Iraniana, a Guerra do Golfo e o 11 de setembro.
A Crise do Islã interpreta a ascensão da doutrina wahhabi (fundada no século XVII e que prega o retorno ao islã “puro” e “autêntico” de Maomé) como forma de deturpar e manipular o comportamento religioso tradicional na região. O espelho do fundamentalismo radical não é necessariamente a sociedade ocidental, diz o autor, mas todos aqueles que se abrem para o estilo de vida moderno e as tradições democráticas. Como política e religião são inseparáveis no islamismo, não é de estranhar que jovens muçulmanos se mostrem tão ansiosos por cumprir a obrigação da jihad (ou “guerra santa”) e se submetam até ao suicídio em nome da fidelidade ao passado.

Nesse livro, Bernard Lewis examina as raízes históricas do ressentimento que uma parcela dos adeptos do islamismo nutre com relação ao que qualifica como “mundo infiel”. Partindo da fundação da religião muçulmana pelo profeta Maomé, o autor traça, de maneira crítica, uma linha do tempo que percorre a era dos califas, o Império Otomano, a ameaça representada pelos cruzados, a dominação colonial européia e a intensificação dos conflitos entre Oriente e Ocidente nos últimos tempos. Em texto sucinto, Lewis concentra-­se em particular nos acontecimentos do século XX que estão na origem dos violentos confrontos atuais: a formação do Estado de Israel, a Guerra Fria, a Revolução Iraniana, a Guerra do Golfo e o 11 de setembro.
A Crise do Islã interpreta a ascensão da doutrina wahhabi (fundada no século XVII e que prega o retorno ao islã “puro” e “autêntico” de Maomé) como forma de deturpar e manipular o comportamento religioso tradicional na região. O espelho do fundamentalismo radical não é necessariamente a sociedade ocidental, diz o autor, mas todos aqueles que se abrem para o estilo de vida moderno e as tradições democráticas. Como política e religião são inseparáveis no islamismo, não é de estranhar que jovens muçulmanos se mostrem tão ansiosos por cumprir a obrigação da jihad (ou “guerra santa”) e se submetam até ao suicídio em nome da fidelidade ao passado.

BERNARD LEWIS é professor emérito de estudos orientais na Universidade de Princeton (EUA) e reconhecido internacionalmente como um dos maiores especialistas em Oriente Médio na atualidade. Escreveu diversos livros, entre os quais O Oriente Médio; O que deu errado no Oriente Médio? e Os assassinos, publicados no Brasil por Jorge Zahar. Ganhou o prêmio George Polk com “The Revolt of Islam”, artigo originalmente publicado na revista The New Yorker e agora ampliado para constituir esse livro.

Disponível apenas para os assinantes. Faça sua assinatura clicando aqui