A Caminho de Jerusalém – As Cruzadas #01 – Jan Guillou

A Caminho de Jerusalém – As Cruzadas #01 – Jan Guillou

No ano da graça de 1150 nasce Arn Magnusson na aldeia de Arnäs, situada perto de uma praia do Lago Vänern, a cem quilômetros a nordeste de Skara, na Suécia. Filho de Sigrid e Magnus, ambos descendentes de poderosas famílias tradicionais, aparentadas com as dinastias norueguesa e sueca.
Arn está agora sob os cuidados dos monges cistercienses do mosteiro de Varnhem e deles recebe a mais refinada educação espiritual e secular de seu tempo. Pelas mãos do fortíssimo irmão Guilbert, ele aprende também a manusear tanto o arco e a flecha quanto a espada como um cavaleiro destemido e resoluto, pois os monges cistercienses chegaram à conclusão de que Arn não estava destinado a viver no recolhimento monástico, pois nascera para ser um cavaleiro de Cristo e defensor da sua fé na Terra Santa.

Entretanto, Arn permanece alheio a esses planos quando, ainda com 17 anos, volta para a casa dos pais, onde acaba sendo involuntariamente envolvido pelas constantes intrigas entre os rivais que pretendem subir ao trono de uma Suécia arrasada devido às lutas pelo poder.

Após sua permanência no mosteiro, ele encontra agora, pela primeira vez, mulheres, desejo e amor. Duas jovens acendem essa chama, as duas são irmãs. Algo que, segundo as leis da terra, na Götaland Ocidental, é um crime que exige a punição mais severa. Assim, o joven Arn, por causa do seu nome, é condenado pela Igreja a se redimir de seu pecado se tornando um cavaleiro templário em plena Terra Santa. O caminho para Jerusalém havia começado.

No ano da graça de 1150 nasce Arn Magnusson na aldeia de Arnäs, situada perto de uma praia do Lago Vänern, a cem quilômetros a nordeste de Skara, na Suécia. Filho de Sigrid e Magnus, ambos descendentes de poderosas famílias tradicionais, aparentadas com as dinastias norueguesa e sueca.
Arn está agora sob os cuidados dos monges cistercienses do mosteiro de Varnhem e deles recebe a mais refinada educação espiritual e secular de seu tempo. Pelas mãos do fortíssimo irmão Guilbert, ele aprende também a manusear tanto o arco e a flecha quanto a espada como um cavaleiro destemido e resoluto, pois os monges cistercienses chegaram à conclusão de que Arn não estava destinado a viver no recolhimento monástico, pois nascera para ser um cavaleiro de Cristo e defensor da sua fé na Terra Santa.

Entretanto, Arn permanece alheio a esses planos quando, ainda com 17 anos, volta para a casa dos pais, onde acaba sendo involuntariamente envolvido pelas constantes intrigas entre os rivais que pretendem subir ao trono de uma Suécia arrasada devido às lutas pelo poder.

Após sua permanência no mosteiro, ele encontra agora, pela primeira vez, mulheres, desejo e amor. Duas jovens acendem essa chama, as duas são irmãs. Algo que, segundo as leis da terra, na Götaland Ocidental, é um crime que exige a punição mais severa. Assim, o joven Arn, por causa do seu nome, é condenado pela Igreja a se redimir de seu pecado se tornando um cavaleiro templário em plena Terra Santa. O caminho para Jerusalém havia começado.