23 livros escritos por mulheres que você precisa ler

23 livros escritos por mulheres que você precisa ler

Quantos livros escritos por mulheres você leu neste ano? Quantos livros escritos por mulheres você já leu no decorrer de toda sua vida?

A chance de você dizer que leu pouquíssimas autoras é bem grande.

Embora mulheres brasileiras tendam a ser maioria como leitoras, elas têm baixa representatividade na literatura.

Aproximadamente 80% dos escritores convidados da Festa Literária de Paraty (Flip) deste ano eram homens, segundo o G1.

Dos atuais 40 membros da Academia Brasileira de Letras (ABL), apenas cinco são mulheres.

Fora do Brasil, a situação não é muito diferente.

A organização VIDA, em 2014, reportou um crescimento na quantidade de mulheres escrevendo resenhas de livros, assim como análise de obras escritas por mulheres, mas há um longo caminho a ser percorrido para haver igualdade de gênero no mundo literário.

O movimento Leia Mulheres quer expandir o alcance das publicações escritas por mulheres. E, em apoio a essa iniciativa, o HuffPost Brasil fez esta diversificada lista de 23 livros escritos por mulheres.

Focada em lançamentos recentes, ela evidencia a riqueza da produção literária (e de quadrinhos) feminina.

por Caio Delcolli, HuffPost Brasil

Quantos livros escritos por mulheres você leu neste ano? Quantos livros escritos por mulheres você já leu no decorrer de toda sua vida?

A chance de você dizer que leu pouquíssimas autoras é bem grande.

Embora mulheres brasileiras tendam a ser maioria como leitoras, elas têm baixa representatividade na literatura.

Aproximadamente 80% dos escritores convidados da Festa Literária de Paraty (Flip) deste ano eram homens, segundo o G1.

Dos atuais 40 membros da Academia Brasileira de Letras (ABL), apenas cinco são mulheres.

Fora do Brasil, a situação não é muito diferente.

A organização VIDA, em 2014, reportou um crescimento na quantidade de mulheres escrevendo resenhas de livros, assim como análise de obras escritas por mulheres, mas há um longo caminho a ser percorrido para haver igualdade de gênero no mundo literário.

O movimento Leia Mulheres quer expandir o alcance das publicações escritas por mulheres. E, em apoio a essa iniciativa, o HuffPost Brasil fez esta diversificada lista de 23 livros escritos por mulheres.

Focada em lançamentos recentes, ela evidencia a riqueza da produção literária (e de quadrinhos) feminina.


‘Americanah’, de Chimamanda Ngozi Adichie

  • Nigéria, anos 1990. O país está sob o comando de um governo militar. A jovem Ifemelu decide deixar sua terra natal para partir aos Estados Unidos, a fim de estudar. Lá, ela vive dificuldades decorrentes de preconceitos por ser mulher, negra e imigrante, mas isso não vai impedi-la de se realizar. Quinze anos depois, ela volta à Nigéria e encontra seu país diferente. Um amor da adolescência também já não é mais o mesmo. Americanah é o romance de sucesso da renomada e premiada Chimamanda Ngozi Adichie, atualmente um ícone literário e feminista.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 520
    Preço: R$ 54; e-book R$ 38


‘A Amiga Genial’, de Elena Ferrante

 

  • No primeiro livro da tetralogia Napolitana, as meninas Elena e Rafaella se tornam grandes amigas, em plena cidade italiana de Nápoles nos anos 1950. Apesar de quererem muitas coisas em comum e fazerem planos, algo faz as duas seguirem caminhos distintos na vida. Isso é explorado pelos outros livros da série, que aborda a amizade feminina e as transformações sociais pós-II Guerra Mundial. O mistério sobre este bestseller é sua reclusa autora (ou autor?), que usa o pseudônimo Elena Ferrante e se recusa a se identificar publicamente.

    Editora: Globo Livros
    Páginas: 336
    Preço: R$ 44,90


‘Livre’, de Cheryl Strayed

  • Aos 20 e poucos anos, a escritora Cheryl Strayed havia perdido tudo. Sua mãe, com quem tinha forte ligação, morreu precoce e inesperadamente em decorrência de um câncer. Após isso, a família se desintegrou. O casamento de Cheryl também foi buraco abaixo. Ela começou a usar heroína, largou a faculdade e chegou ao fundo do poço. Independente e disposta a enfrentar seus demônios, ela parte sozinha em uma trilha que cruza os Estados Unidos de ponta a ponta, a fim de entrar em contato consigo mesma e repensar sua vida. A aventura cheia de imprevistos é relatada com sensibilidade e tom feminista neste livro de memórias, que recentemente virou um filme protagonizado e produzido por Reese Witherspoon.

    Editora: Objetiva
    Páginas: 376
    Preço: R$ 39,90


‘A Garota da Banda’, de Kim Gordon

  • Ícone do rock independente e experimental, Kim Gordon relata nesta autobiografia o término de seu casamento com Thurston Moore, parceiro também na legendária banda Sonic Youth. Além disso, ela narra com crueza e lirismo diversos momentos de sua vida: a infância com os pais distantes e o irmão esquizofrênico, o feminismo, a arte e a maternidade, tendo como ponto de partida o último show do Sonic Youth, em 2011, na cidade brasileira de Itu (SP). A Garota da Banda é o relato de alguém que tenta entender o que aconteceu com sua vida e quer manter a identidade em meio às mudanças bruscas e inesperadas. Gordon é uma das personagens principais do cenário artístico multimídia e underground há quase 30 anos – e chegou a hora de expor seu ponto de vista como nunca fez antes.

    Editora: Fábrica231/Rocco
    Páginas: 288
    Preço: R$ 34,50; e-book R$ 25,50


‘Não Sou uma Dessas’, de Lena Dunham

  • Criadora, atriz, roteirista, produtora e diretora. Lena Dunham exerce todas essas funções na série de comédia Girls, da HBO. Mas tudo isso não é o suficiente para ela, que também é escritora – e das mais habilidosas. Em Não Sou uma Dessas, Dunham usa seu estilo honesto e engraçado para falar sobre sexo, família e trabalho. É o retrato do crescimento de uma garota de 20 e poucos anos em busca de experiências e realizações. O livro é dedicado à cineasta, escritora e jornalista Nora Ephron, morta em 2012.

    Editora: Intrínseca
    Páginas: 288
    Preço: R$ 29,90; e-book: R$ 19,90


‘Luzes de Emergência se Acenderão Automaticamente’, de Luisa Geisler

  • Quando o melhor amigo de Henrique bate a cabeça, entra em coma e não tem muitos dias de vida pela frente, o garoto passa a escrever cartas para o amigo enquanto este não morre. Ganhadora do prêmio Sesc de literatura pelo romance Quiçá (2012), a elogiada Luisa Geisler escreveu em Luzes de Emergência se Acenderão Automaticamente, com bom humor e sutileza, a história de um rapaz que está crescendo e tem diversas inseguranças.

    Editora: Alfaguara
    Páginas: 296
    Preço: R$ 39,90


‘O Primeiro Homem Mau’, de Miranda July

  • Cheryl é uma mulher reclusa que tem seu mundo particular virado de cabeça para baixo quando a jovem Clee, filha do colega de trabalho pelo qual Cheryl tem uma obsessão, se hospeda em sua casa. Com bastante bom humor, Miranda July narra o desabrochar da protagonista para uma nova vida – ela se apaixona por Clee. O Primeiro Homem Mau é o primeiro livro de ficção de July, que além de escritora é cineasta e performer.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 304
    Preço: R$ 44,90; e-book R$ 29,90


‘Holocausto Brasileiro’, de Daniela Arbex

  • Daniela Arbex, jornalista da Tribuna de Minas, resgata a memória e a identidade das 60 mil pessoas mortas no hospício Colônia, na cidade de Barbacena (MG), que funcionou durante a maior parte do século 20. Aproximadamente 70% dos internados não tinham doença mental alguma – eram homossexuais, mulheres vítimas de estupro e alcoólatras, entre outras pessoas de diversas origens e realidades. Sob tutela do Estado brasileiro, elas foram perversamente desumanizadas. Enquanto o manicômio lucrava com a morte, diversos desrespeitos aos direitos humanos aconteceram ali. Holocausto Brasileiro recebeu em 2014 o prêmio Jabuti na categoria de reportagem.

    Editora: Geração Editorial
    Páginas: 256
    Preço: R$ 39,90; e-book R$ 19,90


‘Você É Minha Mãe?’, de Alison Bechdel

  • Neste quadrinho autobiográfico, Alison Bechdel – criadora do teste feminista que leva seu nome – se abre para contar sua complicada relação com a mãe, uma atriz frustrada no casamento. A autora tenta desvendar, ao resgatar o passado, o que acontecerá com as duas no futuro. É a segunda vez que Bechdel aborda a família em sua obra. A primeira foi com Fun Home (2006), em que a quadrinista, assumidamente lésbica, fala sobre o relacionamento com o pai, um homossexual enrustido e diretor de uma agência funerária na casa da família. Orientação sexual, gênero, abuso psicológico e suicídio são temas recorrentes na obra de Bechdel.

    Editora: Quadrinhos na Cia.
    Páginas: 304
    Preço: R$ 54


‘Do que É Feita uma Garota’, de Caitlin Moran

  • Em seu primeiro livro de ficção, a jornalista inglesa Caitlin Moran usa tom feminista e humor negro para narrar a trajetória de Johanna, uma garota gorda e tagarela de 14 anos que mora no meio do nada e decide tornar-se jornalista musical para livrar a família da pobreza e se tornar alguém importante. Mas é claro que Johanna se meterá em enrascadas, afinal, precisa crescer antes de se tornar a adulta que tanto quer ser. Ambientado na Inglaterra no início dos anos 1990, o romance faz diversas referências à música pop, citando bandas como Teenage Fanclub, Lush e Babes in Toyland.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 392
    Preço: R$ 44,90; e-book R$ 31,90


‘Memórias de uma Beatnik’, de Diane di Prima

  • Diane di Prima, em texto ágil e envolvente, escancara seu ingresso no movimento literário Geração Beat, majoritariamente composto por homens, como Jack Kerouac, Allen Ginsberg e William S. Burroughs. Ambientado na década de 1950, di Prima não economiza no sexo, na arte e na rebeldia durante seu crescimento. A escritora oferece em Memórias de uma Beatnik algo raro no movimento: o ponto de vista feminino.

    Editora: Veneta
    Páginas: 216
    Preço: R$ 29,90


‘Operação Impensável’, de Vanessa Barbara

  • Em 43 dias de angústia e sofrimento, a historiadora Lia tenta descobrir o que aconteceu de errado com seu casamento com Tito. Os cinco anos de relacionamento de ambos é dissecado em emails e lembranças que compõem seu universo particular, como várias sessões de cinema e jogos de tabuleiro. “Operação Impensável” é o nome dado a uma operação britânica após o fim da II Guerra Mundial para atacar a União Soviética. Para Lia, trata-se do início da Guerra Fria, um conflito sem confronto armado, mas de constantes ameaças de explosões. Escritora, jornalista e tradutora, Vanessa Barbara ganhou o Prêmio Paraná de Literatura em 2015 por Operação Impensável.

    Editora: Intrínseca
    Páginas: 224
    Preço: R$ 39,90; e-book R$ 19,90


‘Só Garotos’, de Patti Smith

  • Com sensibilidade e lirismo, a cantora e compositora Patti Smith relata nesta memória seu relacionamento com o fotógrafo Robert Mapplethorpe (1946-1989), além de falar sobre sua infância e as diversas fases que viveu antes de tornar-se famosa no meio punk com o disco Horses (1975). Só Garotos é o registro nostálgico de uma mulher de origem humilde, devota à arte e que é ponto central do cenário artístico e underground dos anos 1970.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 280
    Preço: R$ 41


‘Por um Sentido na Vida’, de Amy Purdy

  • A atleta paraolímpica de snowboard Amy Purdy perdeu as duas pernas quando tinha 19 anos, em decorrência de uma doença. Em Por um Sentido na Vida, ela se expõe com franqueza para dizer como superou isso. Purdy é tricampeã da copa do mundo de para-snowboard e ficou famosa ao competir no programa de TV Dancing with the Stars, no qual ela foi finalista.

    Editora: Editora Agir
    Páginas: 240
    Preço: R$ 29,90; ebook R$ 20,40


‘A Mão Esquerda da Escuridão’, de Ursula K. Le Guin

  • Precursor na ficção científica feminista, A Mão Esquerda da Escuridão mostra Genly, emissário da federação galáctica Ekumen, em uma missão política: fazer o planeta Gethen entrar em um grupo de planetas para fazer trocas comerciais e culturais. Um dos aspectos mais marcantes do romance é a população andrógina e de gênero fluído de Gethen, que faz o protagonista repensar seus costumes e visão de mundo. Além disso, ele tem que enfrentar interesses que podem prejudicar a missão. A Mão Esquerda da Escuridão é considerado um clássico literário e ganhou os prêmios Hugo e Nebula, expoentes dos gêneros de ficção científica e fantasia. Ursula K. Le Guin se distingue nesse meio, majoritariamente masculino, como ícone feminista, literário e de grande estatura artística.

    Editora: Aleph
    Páginas: 296
    Preço: R$ 39,90


‘Eu Sou Malala’, de Malala Yousafzai e Christina Lamb

  • Hoje um dos principais ícones da luta pela educação feminina, a paquistanesa Malala Yousafzai narra nesse livro – escrito com a jornalista Christina Lamb – a história de sua família vivendo em meio ao terrorismo. E, tão importante quanto, ela apresenta o ponto de vista feminino direto de uma sociedade em que mulheres são menos valorizadas que filhos homens. Diversas etapas da trajetória de Malala e sua visão sobre a cultura à qual ela pertence estão registradas em Eu Sou Malala.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 360
    Preço: R$ 34,50; ebook R$ 24


‘A Poderosa Chefona’, de Tina Fey

  • A comediante Tina Fey tem uma trajetória de triunfo. Criadora, roteirista, produtora e protagonista da série de comédia 30 Rock, chefe de roteiro e atriz em Saturday Night Live por anos e, hoje, criadora de Unbreakable Kimmy Schmidt, ela acumula dois Globos de Ouro e oito Emmys em sua prateleira. Com tom feminista, bom humor e inteligência, ela relata em A Poderosa Chefona lembranças de diversos momentos de sua vida, como ela superou inseguranças e desafios nas posições que ocupou na indústria do entretenimento e os bastidores do disputado meio da TV norte-americana.

    Editora: Best Seller
    Páginas: 272
    Preço: R$ 39,90


‘Meus Desacontecimentos’, de Eliane Brum

  • Conhecida por seu estilo sensível, observador e marcante, Eliane Brum é um dos principais nomes do jornalismo brasileiro atual. Em Meus Desacontecimentos, ela se torna objeto de sua própria investigação. Com coragem e honestidade, ela resgata lembranças da infância e fala da escrita como a grande plataforma de sua existência.

    Editora: LeYa
    Páginas: 144
    Preço: R$ 29,90


‘Vá, Coloque um Vigia’, de Harper Lee

  • Vinte anos após os acontecimentos de O Sol É para Todos (1960) – clássico definitivo da literatura norte-americana do século 20 – a jovem Scout retorna para sua cidadezinha interiorana, onde entra em choque com os valores de sua família e conterrâneos. A história acontece nos anos 1950, período de intenso debate sobre racismo e direitos civis nos Estados Unidos. O lançamento de Vá, Coloque um Vigia virou o meio literário ao avesso, pois acreditava-se que o manuscrito do livro estava desaparecido há 60 anos. A autora, hoje, tem 89 anos e tem sido questionado se ela de fato autorizou ou não o lançamento do romance.

    Editora: José Olympio
    Páginas: 252
    Preço: R$ 40


‘A Arte de Pedir’, de Amanda Palmer

  • Amanda Palmer, cantora e compositora conhecida pela extinta banda Dresden Dolls e também pelos trabalhos em carreira solo, é precursora na comunicação direta com seus fãs por meio de blogs, redes sociais e financiamentos coletivos. Em “A Arte de Pedir”, famosa palestra no TED, Palmer explica como artistas e fãs podem se relacionar hoje em dia recorrendo à internet e como sobreviver da arte fora da estrutura da indústria fonográfica. Ela também relembra o início da carreira, em que era artista de rua e aceitava trocados de passantes. No livro homônimo, consequência da palestra, mais uma vez ela reforça as redes sociais como possibilidade de conexão humana verdadeira. Com um simples pedido, você pode fazer muita coisa.

    Editora: Intrínseca
    Páginas: 304
    Preço: R$ 34,90; e-book R$ 19,90


‘Mal-entendido em Moscou’, de Simone de Beauvoir

  • Neste romance existencialista, o casal André e Nicole enfrenta uma crise enquanto viaja à União Soviética nos anos 1960. Ele está encantado por Macha, filha de seu primeiro casamento; ela está entediada com a vida de aposentado do marido e sente falta dos tempos em que lecionava. Por meio dos personagens, Simone de Beauvoir – gigante do feminismo e da filosofia existencialista – fala sobre as transformações sociais da época em países socialistas, além do passar do tempo e as dificuldades de comunicação em relacionamentos.

    Editora: Record
    Páginas: 320
    Preço: R$ 25


‘A Vítima Perfeita’, de Sophie Hannah

  • O desaparecimento do amante de Naomi a faz entrar em um mundo em que segredos e obsessões andam de mãos dadas. A violência sexual contra mulheres também é abordada nesta trama sombria de Sophie Hannah. A autora é um dos nomes mais quentes do meio literário no Reino Unido hoje e tem sido elogiada pela crítica pelos seus romances policiais.

    Editora: Rocco
    Páginas: 432
    Preço: R$ 39,50; e-book R$ 25,50


‘O Pintassilgo’, de Donna Tartt

  • Ganhador do prêmio Pulitzer de ficção em 2014, em O Pintassilgo, de Donna Tartt, a lembrança de uma pintura mantém Theo conectado à lembrança de sua mãe, morta em um atentado terrorista quando ele tinha 13 anos. A obra acompanha o crescimento do protagonista, que quando adulto se vê no meio de uma conspiração.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 728
    Preço: R$ 49,50; e-book R$ 35

1 comentário em “23 livros escritos por mulheres que você precisa lerAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *