01-positive-alien-extraterrestrial

15 Raças Alienígenas Memoráveis da Literatura de Ficção Científica

Todo mundo gosta de alienígenas, nada mais justo do que elaborar uma lista daqueles que considero as melhores raças da ficção científica.

Aalaag

Os Aalaag conquistaram o planeta Terra com facilidade no romance WAY OF THE PILGRIM de Gordon R.Dickson de 1987. Dentro de sua própria ética, os Aalaags são senhores justos – tratar mal seu ‘rebanho’ humano é considerada uma ofensa muito séria. Porém eles exigem obediência e um rígido código de conduta que classifica o espírito humano.
Na verdade o planeta natal dos Aalaags foi conquistado também, por um poderoso inimigo sem nome.
Os Aalaags são essencialmente guerreiros altos e orgulhosos, cada qual com uma coleção pessoal de armas e possuem uma aparência espartana. Cada Aalaag encara seus deveres como sendo a maior virtude, e todos seus esforços são dirigidos para o dia em que recuperarão seus planetas perdidos. As raças dominadas por eles são utilizadas para explorar recursos para conquistar este seu objetivo final.
Nosso herói, Shane Evert, um lingüista, encabeça um grupo de tradutores à serviço do líder alienígena, Primeiro Capitão Lyt Ahn. O titulo do livro se refere ao símbolo universal do Peregrino, como condição humana e que se torna o símbolo do movimento de resistência que começa a surgir.
Cativante, calorosamente humano, o romance é Dickson em seu melhor.
Way of the Pilgrim – Gordon R.Dickson


 

Psychlos

Esqueça o filme com John Travolta. Esqueça o que quer que você pense sobre L.Ron Hubbard ter fundado a Cientologia. Apenas leia este romance paquidérmico (1066 páginas) de 1982, chamado BATTLEFIELD EARTH. É Space Opera do jeito que devia ser.
Os Psychlos não somente conquistam planetas. Eles não somente conquistam galáxias. Eles conquistam universos. Só eles possuem o segredo do teletransporte instantâneo. E um de seus maiores empreendimentos trata-se da Companhia de Mineração Intergaláctica que leva os nativos de volta ao tempo da idade da pedra e sistematicamente extrai cada minério disponível do planeta, quase até só restar o núcleo.
E os Psychlos acham a crueldade muito divertida. O desonesto – mesmo para os seus padrões – Chefe de Segurança da Terra chamado Terl, tem um esquema para ficar rico treinando alguns nativos humanos para minerar ilegalmente para ele.
Soberba caracterização, tanto de humanos quanto de alienígenas em uma história tão boa que você quase esquece que está lendo. Uma nota de louvor deve ser feita aos Selachees, outro raça alienígena no livro e que tem um papel crucial ao final.
Battlefield Earth – L.Ron Hubbard


 

Thranx

Alan Dean Foster já escreveu uma série de trabalhos dentro da Comunidade Humanos-Thranx (Humanx), mas a maioria trata de personagens bem conhecidos como Flinx e Pip, com os Tranx de pano de fundo. Um dos romances contudo, explora bem a cultura Thranx e como os humanos se tornaram parceiros deles. NOR CRYSTAL TEARS (1982) é em grande parte escrito pelo ponto de vista dos Thranx. Tudo parece tão bem encaixado neste livro – que ao final você estará torcendo para que o insectoide Thranx forme uma aliança com os humanos.
Foster lida com as raças com perfeição. E eu adoro estes louva-a-deus.
Série Humanx (Surfeit, The Emoman, Midworld, Cachalot, Nor Crystal Tears, Voyage to the city of the dead, Sentenced to Prism, The Howling Stones) – Alan Dean Foster


 

Marcianos

Estamos falando especialmente dos marcianos do livro MARTIANS GO HOME (1955), de Fredric Brown. Eles são literalmente homenzinhos verdes, mas o que eles são realmente, antes de tudo, são uns chatos! Serem chatos parece ser a seu maior objetivo.
Eles invadem a Terra aos milhões, de uma hora para outra, falando inglês com um sotaque do Brooklyn e perturbando a paz e a ordem. Com resultados desastrosos e as vezes fatais. Eles podem se teleportar para onde quiserem, porém não podem ser tocados. Gostam mais do que tudo de dizer com quem sua esposa está dormindo, entregam segredos de defesa para outros países, fazem comentários sobre as falhas humanas, tudo para poder ser tão chato quanto puderem.
Este livro é considerado um clássico da Ficção Cientifica e não conheço ninguém que o tenha lido e não tenha gostado.
Martians go Home – Fredric Brown


 

Pequeninos

SPEAKER FOR THE DEAD (1986) é a sequência escrita por Orson Scott Card para seu mundialmente famoso romance ENDER’S GAME (um romance de Ficção Científica obrigatório para pessoas que não lêem Ficção Científica).
Ambos ganharam os prêmios Hugo e Nebula, mas são dois livros bem diferentes entre si.
Muita gente irá discordar de colocar os Pequeninos como uma raça alienígena clássica, mas é a rica descrição desta sociedade que chama a atenção. Especialmente por que, muito do que decepciona no livro, mais uma vez está nas dificuldades das comunicações entre as espécies e na tentativa (em vão) dos humanos para compreender os pequeninos sem prejudicar seu desenvolvimento natural. Tocante em algumas partes, é um livro imperdível para o leitor de Ficção Cientifica interessado em comparar religiões.
O conceito de framling (humanos de outros planetas), ramen (não-humanos com quem se comunicam como se fossem humanos) e varelse (não humanos com quem é impossível se comunicar) será lembrado quando inevitavelmente entrarmos em contato com seres interestelares.
Série Enders (Ender’s Game, Investument Counselor, Sppeaker for the Dead, Xenocide, Children of the mind, Ender’s Shadow, Shadow of the Hegemon, Shadow Puppets, Shadow of the Giant ) – Orson Scott Card


 

Overlords

Incluso em todo curso sobre Ficção Científica, o clássico de Arthur C.Clarke CHILDHOOD’S END (1953) nos mostra um outro tipo de conquistador da Terra, um tipo benigno de certa forma. Os Overlords tornam a vida melhor para todos e dão solução para muitos de nossos problemas, tudo isso de suas gigantescas espaçonaves posicionadas sobre as maiores cidades do mundo.
A humanidade se adapta a esta situação, como é de sua natureza, mas os Overlords não irão revelar a si mesmos por cinqüenta anos e a razão pela qual o fazem incorporam conceitos de memória racial (Jung).
Não direi mais nada, além do que muitos professores amam utilizar este livro em seus cursos.
É claro que existe um segredo, do por que os Overlords estarem agindo daquela maneira.
O que acontece quando o segredo é revelado, pode ser descrito como ‘pungente’.
Childhood’s End e O Fim da Infância – Arthur C.Clarke


 

Fithp

Larry Niven não precisa de dinheiro, já Jerry Pournelle sim. Isso realmente não importa, pois são dois autores de Ficção Científica, quer estejam comendo hambúrgueres ou filé mignon. Juntos eles realizaram uma das mais bem sucedidos parcerias já vista neste gênero.
FOOTFALL (1985) é um excelente exemplo disso.
Gente que não costuma ler Ficção Científica lia os romances de Niven/Pournelle nos anos 80, enquanto esperavam pelo próximo Heinlein. De qualquer forma, todo mundo que já leu este livro, pensa nos Fithp como elefantes. Assim como os humanos fazem parte de uma cultura de indivíduos, como formigas de uma colônia, os Fithp são de uma cultura de manada.
Com um excelente tratamento dado a esta premissa básica – e sendo criaturas de manada, eles não compreendem o conceito de acordos diplomáticos… ou você é o dominante ou o submisso.
Em particular, a política interna dentro de uma manada inteligente diante de uma difícil conquista é tratada com admirável habilidade.
Footfall – Larry Niven/Jerry Pournelle


 

Drac

Ok, o sujeito publica um conto e ganha um prêmio Nebula por isso – poucos meses depois ele ganha o prêmio Hugo também. Em seguida o prêmio John W.Campbell por que, afinal, trata-se de um novato. Ele é o primeiro a ganhar os três prêmios em um ano. Grande coisa?
Então vem Hollywood e um filme subestimado estrelado por Dennis Quaid e Louis Gossett Jr. (Gossett recebeu uma indicação de melhor ator, mesmo o filme não sendo um sucesso).
De uma hora para outra, Barry B.Longyear é o maior nome da Ficção Científica por conta de ENEMY MINE (1979).
Dracs e humanos estão em guerra. Um piloto humano e um piloto alienígena ficam presos em um planeta onde sobreviver é muito difícil, para dizer o mínimo. Eles são forçados a unirem forças para continuarem vivos. O problema é que os Dracs são hermafroditas e Jeriba não precisa de um parceiro para se reproduzir.
Alerta de spoiler para a próxima frase: Devido a morte prematura, o humano se vê forçado a criar a criança alienígena como se fosse sua.
Tanto o livro quanto o filme são essencialmente a história da interação entre homem e alienígena. Não vai ser difícil você chorar.
Enemy Mine – Barry B.Longyear


 

Fuzzies

H.Beam Piper solidificou sua posição na história da Ficção Científica com a publicação de LITTLE FUZZY (1962).
Os adjetivos mais utilizados pelos críticos deste livro foram ‘delicioso’ e ‘encantador’, e não podemos culpá-los por isso. Os Fuzzies são adoráveis. Mas o romance explora outro importante tema: como definimos a sabedoria? Foram escritas várias sequências, nem sempre pelo mesmo autor – e nenhuma é tão boa quanto o original.
The complete Fuzzie (Little Fuzzie, Fuzzie Sapiens, Fuzzies and other people) – H.Beam Piper


 

Groaci

É difícil saber qual dos trabalhos de Keith Laumer é mais conhecido da sua série BOLO, aquela com seu personagem James Bondiano Jame Retief. São várias histórias ao longo de décadas. Independentemente estas histórias de heroicidade e engenhosidade humana em face da incompetência diplomática humana, venderam muito bem por anos. A maioria delas conta com um enredo insidioso por detrás de estranhos alienígenas e principalmente dos Groaci.
Os livros são leves e engraçados e os Groaci são difíceis de se lidar, a não ser quando na coleira. Apesar disso, diversão garantida.
Série Bolo (Honor of the regiment, Bolo Strike, The Triumphant, Old Guard, Cold Steel, Bolo Rising) -Keith Laumer


 

Ythrians

Poul Anderson é sem dúvida um dos decanos americanos da Ficção Científica – ele possui algo chamado ‘História do futuro’ – um termo associado a Robert A.Heinlein – mas a história futura de Anderson não é tão ordenada. Muitas delas se passam dentro da chamada ‘Liga Polesotechic’ um panorama que abrange 4.000 anos da exploração interestelar humana.
A Liga é levemente baseada no capitalismo dos lordes feudais germânicos (especuladores egoístas e usurpadores) do século 19. Mas e quanto aos Ythri?
THE EARTH BOOK OF STORMGATE (1978) viola um critério. Trata-se de uma coletânea, não de um romance. Mas Hloch, algo como um erudito/historiador, introduz cada história, e cada uma delas está entremeada com as outras, dando ao leitor o sentimento da cultura Ythrian.
A melhor maneira de incluir esta raça na lista é através de EARTH BOOK (os Ythrians contudo aparecem em outros trabalhos de Anderson).
The Earth book of Stormgate – Poul Anderson


 

Hroshii

É difícil explicar estas criaturas sem revelar coisa alguma sobre o livro, mas tentarei.
Quase que a metade do romance juvenil de Robert A.Heinlein, STAR BEAST (1954) se passa sem que a palavra Hroshii apareça. Mas eles são poderosos e pouco inclinados a negociar com quem quer que seja. Simplesmente não aceitam um ‘não’ como resposta.
Star Beast – Robert A.Heinlein


 

Forhilnor

Forhilnor são perigosos para os humanos por serem, essencialmente, aranhas gigantes.
O autor canadense Robert J.Sawyer, hoje provavelmente reconhecido por sua FC Hard, nos presenteou com CALCULATING GOD em 2000.
Apesar dos eventos do livro tratarem da chegada dos Forhulnors na Terra e a interação deles com um paleontologista humano, poderíamos dizer que os alienígenas são espectadores…
Sawyer utiliza-se deste encontro para explorar conceitos sobre a Criação, a cosmologia e o por que de existir vida. Ainda assim o leitor irá adorar ter Hollus como convidado para jantar e terá orgulho de tê-lo como amigo.
CALCULATING GOD é um bom livro para se discutir ao redor de uma fogueira.
Calculating God – Robert J.Sawyer


 

Chtorran

Se você não conhece David Gerrold, provavelmente conhece algo que ele fez – foi Gerrold quem escreveu o famoso episódio ‘The trouble with Tribbles’ da série Star Trek.
Sua produção inclui alguns contos e romances de qualidade variável, mas em 1983 ele publicou o primeiro volume de MATTER FOR MEN, que acabou conhecido como ‘The war against The Chtorr’.
Apesar dos vermes serem a face mais aparente dos Chtorrans, o que temos na verdade é nada mais, nada menos do que a tentativa de toda uma biosfera conquistar a Terra.
Outros livros foram escritos dando sequência a este e para nossa felicidade, alguns são tão bons quanto o primeiro. É preciso ler na ordem certa, acompanhar a infestação Chtorran se multiplicando e a reação dos humanos.
Matter for Men – David Gerrold


 

Yilane

Outra raça bem conhecida e eu espero que alguém resolva fazer um filme desta obra prima de Harry Harrison, chamada WEST OF EDEN (1984).
Os outros dois títulos que se seguiram a este (com a usual perda de qualidade) compõe um espantoso exemplo da meticulosa criação de alienígenas feita por Harrison
No entanto os Yilane não são alienígenas no sentido da palavra… esta é a história de uma evolução alternativa da Terra. Os humanos estão em um estágio primitivo (caçadores).
Os Yilane por sua vez, são répteis de um metro e meio de altura, eretos e inteligentes, descendentes dos dinossauros. A sociedade é matriarcal e tem sua tecnologia baseada quase que inteiramente na manipulação das ciências biológicas. Eles literalmente plantam e criam animais, que são modificados para exercer diversas funções.
Os Yilanes vivem em zonas tropicais enquanto que os humanos em zonas temperadas, mas independente disso, as duas sociedades vão de encontro uma contra a outra e surge o conflito. Kerrick, o protagonista humano, foi capturado quando jovem pelos Yilanes e cresceu entre eles. A beleza deste livro está em ter permitido ao autor mostrar ao leitor, a incrível riqueza da cultura Yilane. Assim como Kerrick aprende, nós também. E de forma educativa, os leitores acabam conhecendo toda uma cultura alienígena – sem sacrificar a história.
Harrison é errático em relação a qualidade de seus trabalhos – alguns são detestáveis, muitos são obras de um artesão e poucos são realmente maravilhosos – mas sem dúvida ele triunfou com este.
Trilogia Eden (West of Eden, Winter in Eden e Return to Ender) – Harry Harrison


 

(retirado de http://listverse.com/literature/15-memorable-alien-races-in-science-fiction/)

1 comentário em “15 Raças Alienígenas Memoráveis da Literatura de Ficção CientíficaAdicione o seu →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *